Ouvindo...

Times

Caso Miguel: justiça reduz pena de Sarí Corte Real

Sarí Corte Real responde em liberdade desde maio de 2022

O tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) decidiu, nesta quarta-feira (8), diminuir a pena aplicada a Sarí Gaspar Corte Real, pela morte de Miguel Otávio Santana da Silva. A pena, que antes era de 8 anos e 6 meses de prisão, foi reduzida para 7 anos em regime fechado por abandono de incapaz com resultado de morte.

O julgamento ocorreu porque os advogados que representam a família de Miguel pediram o aumento da pena, enquanto a defesa da ex-primeira-dama de Tamandaré (Pernambuco) pediu a anulação alegando que não houve nenhum crime. Desde a sentença, em maio de 2022, ela responde ao processo em liberdade.

Relembre o caso:

Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, caiu do 9º andar de um prédio de luxo no centro de Recife. A mãe havia saído para passear com o cachorro da família Corte Real e deixou o filho sob os cuidados da então patroa. Sarí teria permitido que o menino entrasse no elevador e circulasse sozinho no Condomínio para procurar Mirtes.

Estudante de jornalismo na PUC Minas e estagiário do jornalismo digital da Itatiaia.
Leia mais