Ouvindo...

Times

Mulher dá à luz a sêxtuplos no ES; parto envolveu 32 profissionais da saúde

Considerados extremamente prematuros, bebês devem ficar internados por três meses em UTI Neonatal

Uma mulher deu à luz sêxtuplos, na tarde desse domingo (1°), em Colatina, no Espírito Santo. A dona de casa Quezia Romualdo, de 29 anos, estava internada desde o dia 5 de setembro em um hospital particular da cidade para guardar a chegada dos bebês. Por ser uma gestação de risco, Quezia passou quase um mês sendo monitorada diariamente pelos médicos.

Os sêxtuplos Théo, Matteo, Lucca, Henry, Maytê e Eloá nasceram em 10 minutos, através de uma cesariana. O parto envolveu 32 profissionais entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem, anestesistas e pediatras.

As crianças nasceram com pesos entre 675g a 1,1kg. Mas por serem considerados prematuros extremos, eles devem ficar na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (Utin) do São Bernardo Apart Hospital, por cerca de 3 meses.

Em entrevista ao G1, o pai Magdiel Costa, de 31 anos, disse que a expectativa era que a esposa completasse 30 semanas de gravidez. Porém, nas últimas horas antes do parto, Quezia começou a passar mal e sentir falta de ar. Os bebês nasceram com 27 semanas de gestação, completadas no último sábado (30).

Mulher chegou a fazer procedimento para adiar o parto

No início do mês, Quezia fez uma cirurgia para permitir que os bebês ficassem mais tempo no útero. Chamado de “cerclagem uterina”, o procedimento, segundo a dona de casa, é como “um ponto fora do útero”.

"É um ponto fora do útero para eu segurar mais os nenéns, né? Como eu falei, minha barriga está pesada e está muito grande. O colo do útero está afinando. Então, eles decidiram fazer esse procedimento em mim. Mas estou bem, estou me recuperando, cada dia vencendo, graças a Deus”, disse em um vídeo publicado nas redes sociais.

A cerclagem uterina é um procedimento, geralmente, indicado após o terceiro mês de gestação. O objetivo é manter o colo do útero fechado até o fim da gravidez. Os pontos são retirados por volta da 37ª semana, para que o parto possa acontecer normalmente.

Fernanda Rodrigues é repórter da Itatiaia. Graduada em Jornalismo e Relações Internacionais, cobre principalmente Brasil e Mundo.
Leia mais