Ouvindo...

Times

Não é só Endrick: Dorival pede paciência com Vini Jr. na Seleção

Atacante destaque do Real Madrid na temporada, e favorito a ser o melhor do mundo em 2024, Vini não repete com o Brasil as boas atuações na equipe espanhola

Vinícius Júnior completou no empate por 1 a 1 contra os Estados Unidos, na quarta-feira (12), 30 jogos pela Seleção Brasileira. E são apenas três gols. E o técnico Dorival Júnior repetiu discurso que vem tendo com relação a Endrick, que será parceiro no Vini no Real Madrid-ESP a partir de julho: paciência.

“Cobram do Vinicius as atuações que ele tem no Real. Acho que isso vai acontecer nos momentos mais importantes e decisivos da Copa América. Vamos aguardar, ter paciência e dar condições para esses garotos encontrarem o seu melhor”, disse o treinador.

Vinícius Júnior é o favorito as ganhar o prêmio de melhor do mundo em 2024. Ele fez 24 gols em 41 jogos na temporada do Real, campeão espanhol e da Liga dos Campeões da Europa. Desde 2007, com Kaká atuando pelo Milan-ITA, o Brasil não tem o melhor jogador de futebol escolhido pela Fifa.

Mas, na Seleção, suas atuações não se repetem. Vini marcou contra o Chile, pelas Eliminatórias para a Copa de 2022, contra a Coreia do Sul nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2022, e no amistoso contra Guiné, em junho de 2023.

Com contextos diferentes, Dorival pede paciência a Vini Jr., com 23 anos, e Endrick, que tem 17. O atacante ex-Palmeiras fez o mesmo número de gols de Vini na Seleção, em seis partidas disputadas. Mas o treinador acha cedo lança-lo como titular, teme que isso mexa com a cabeça do garoto.

Para a estreia na Copa América, no dia 24 de junho, frente à Costa Rica no SoFI Stadium, o ataque do Brasil deve ter Raphinha, Rodrygo e Vini Jr., como foi contra os Estados Unidos. Com Endrick no banco.

Pelo Grupo D, a Seleção ainda enfrentará na fase de grupos do continental o Paraguai e a Colômbia.

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais