Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Abel Ferreira vê Palmeiras com atitude de campeão após empate em Fortaleza

Time teve Gustavo Gómez expulso e foi duas vezes buscar a igualdade na Arena Castelão; resultado manteve a liderança

O técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, exaltou seu elenco após conseguir buscar duas vezes o empate contra o Fortaleza neste domingo (26). O 2 a 2 na Arena Castelão, na capital do Ceará, manteve os paulistas na liderança da Série A do Campeonato Brasileiro, com 63 pontos, junto com o Flamengo, mas à frente no saldo de gols.

Abel falou em atitude de campeão a três rodadas do fim da competição.

"É evidente a atitude campeã dos jogadores. Meu orgulho é a atitude, a forma como fazemos de tudo para depender só de nós. Temos três finais, preciso da ajuda do nosso torcedor agora, com jogos na nossa casa. Está tudo em aberto, e vamos ter campeonato até o fim”, disse Abel Ferreira.

O Palmeiras terá agora duas partidas no Allianz Parque, em São Paulo: na quarta-feira (29), às 21h30 (de Brasília), o rival será o lanterna América, já rebaixado, e no domingo (3) será a vez de encarar o Fluminense, às 16h (de Brasília).

Abel brincou que ficou com inveja da torcida do Fortaleza, que ovacionou o time após a derrota na final da Copa Sul-Americana, nos pênaltis, para a LDU de Quito. O Palmeiras também foi derrotado nos pênaltis, na semifinal da Copa Libertadores, para o Boca Jrs. e houve críticas dos torcedores.

“Há dois meses o treinador era fraco, a diretoria estava errada, e os jogadores estavam velhos. Independentemente do que acontecer no fim, essa equipe tem atitude campeã", ressaltou o treinador.

Sobre buscar o empate duas vezes com um jogador a menos, após a expulsão de Gustavo Gómez, Abel Ferreira disse que é a prova do “todos somos um”, um de seus lemas.

“Mais do que falar é ver a atitude da equipe em campo, o que vocês veem, o ‘todos somos um’, a resiliência. Sempre aprendi que a maior forma que temos de influenciar os outros é pelo exemplo. Sei que não sou o melhor exemplo, mas em muitas coisas sou. Não sou perfeito, sou ser humano como todos, e às vezes olhamos para os jogadores como se fossem perfeitos. Acho que a melhor forma é influenciar pelo exemplo”, disse Abel Ferreira.

Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais