Ouvindo...

Times

‘Valladolid é o próximo’, revela Ronaldo após vender Cruzeiro a Pedrinho

Ronaldo Fenômeno vendeu as ações da SAF do Cruzeiro para Pedro Lourenço e, agora, procura investidor para adquirir o Real Valladolid

Chegou ao fim, nesta segunda-feira (29), a ‘Era Ronaldo Nazário’ no Cruzeiro. O gestor vendeu as ações da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) celeste ao empresário Pedro Lourenço, dono dos ‘Supermercados BH’. Em entrevista coletiva na Toca II, o Fenômeno aproveitou a oportunidade para dar detalhes sobre o futuro do Real Valladolid, da Espanha.

“Minha resposta vai ser curta: o Valladolid é o próximo. (...) Eu vou tirar esse restinho de vida sabático”, disse Ronaldo.

O ex-jogador é dono de 72% das ações do clube europeu. Nazário detinha 51% do montante, e adquiriu outros 21% anos posteriormente, em 2018, por 30 milhões de euros (R$ 164 milhões na cotação atual).

Assim como aconteceu recentemente no Cruzeiro, Ronaldo foi alvo de protestos por parte de torcedores do Valladolid. Apesar da boa campanha na Segunda Divisão do Campeonato Espanhol, os albivioletas têm criticado a gestão do Fenômeno.

O ex-jogador é dono de 82% das ações do clube europeu.

Nazário comprou 51% das ações do Valladolid em 2018 por 30 milhões de euros. Em seguida, aumentou seu percentual para 71% e, por fim, chegou ao total de 82% da Sociedade Anónima Deportiva (SAD).

Valor da compra da SAF

Pedrinho, como é popularmente conhecido o empresário, dono da rede varejista Supermercados BH, adquiriu 90% das ações do Cruzeiro SAF por R$ 600 milhões.

Em 2023, Pedro já havia investido R$ 100 milhões na SAF, que foram convertidos em 20% das ações nessa operação de compra.

Este ano, Lourenço pagará a Ronaldo mais R$ 150 milhões. Os R$ 350 milhões restantes serão quitados ao longo de dez anos com o Fenômeno.

Os 10% restantes da SAF continuam sob o controle do Cruzeiro (associação).

Resumo da era Ronaldo

Ronaldo anunciou a compra da SAF em 18 de dezembro de 2021, em São Paulo. Em janeiro de 2022, o empresário deu início à gestão. Mas a oficialização da compra só ocorreu de fato em março daquele ano, após a aprovação por parte do Conselho Deliberativo de ajustes no contrato. O então sócio-majoritário assumiu a dívida tributária, na ordem de R$ 180 milhões, a troco das Tocas da Raposa I e II.

Antes, o Fenômeno já tinha como obrigações arcar com as dívidas da associação civil no âmbito esportivo (FIFA e CNRD) e administrar a recuperação judicial (dívidas trabalhistas e cíveis).

Paralelamente à missão de reduzir a dívida do Cruzeiro, estimada em R$ 1,05 bilhão, Ronaldo tinha como meta recolocar o Cruzeiro na Série A, uma vez que o clube fora rebaixado em 2019 na gestão de Wagner Pires e Sá e Itair Machado. O acesso foi conquistado logo no primeiro ano de gestão, com o título da Série B.

Na volta à Série A, em 2023, o Cruzeiro lutou contra o rebaixamento, mas por fim atingiu o objetivo de terminar em 14º lugar, com 47 pontos e uma vaga na Copa Sul-Americana.

A pressão sobre a gestão da SAF aumentou este ano, após a eliminação na primeira fase da Copa do Brasil para o modesto Sousa-PB e depois da perda do Campeonato Mineiro para o rival Atlético. A principal crítica da torcida foi em relação à falta de investimentos que poderiam tornar o time mais competitivo na Sul-Americana e no Brasileirão. Outros pontos negativos da gestão foram a falta de transparência, a comunicação ruim com os torcedores e a imprensa e as sucessivas trocas de treinadores, bem ao estilo “associação”.

Leia também

Responsabilidades de Pedrinho

Além de comandar todo o departamento de futebol cruzeirense, Pedro Lourenço assumirá todas as responsabilidades que eram da Tara Sports, holding de Ronaldo e então dona da SAF.

Pedro assumirá o pagamento das dívidas cíveis e trabalhistas no regime de recuperação judicial; o pagamento da dívida tributária; o pagamento de dívidas relacionadas à prática esportiva (FIFA e CNRD); e o controle das Tocas da Raposa I e II.

A sede administrativa do Cruzeiro, no Barro Preto, em Belo Horizonte, já estava alugada para a rede Supermercados BH, de Pedro Lourenço, pelo período de dez anos. O negócio foi fechado em troca do pagamento antecipado de R$ 11 milhões, em 2021.

Novo organograma da SAF

Ao assumir oficialmente a gestão da Sociedade Anônima do Futebol, Pedro Lourenço terá que montar o novo organograma do Cruzeiro. Até então, o CEO na era Ronaldo era Gabriel Lima.

Pedro Júnior, filho mais velho de Lourenço, deve assumir a função de CEO, que estava a cargo de Gabriel Lima.

Gabriel Lima participará de todo o processo de transição e cuidará da administração da SAF por tempo determinado.

Alexandre Mattos ficará à frente do departamento de futebol, mas certamente fechará a contratação de um novo profissional para ajudá-lo no dia a dia e fazer a interlocução com o elenco.

Veja as regras do controle do Cruzeiro SAF

  1. Pagamento das dívidas cíveis e trabalhistas no regime de recuperação judicial a ser elaborado em comum acordo entre as partes;
  2. SAF ficará responsável pelo pagamento da dívida tributária;
  3. Dívidas relacionadas à prática esportiva (FIFA e CNRD) serão de responsabilidade da SAF;
  4. Integralização de R$ 50 milhões na assinatura do Acordo de Investimentos. Capital comprometido de R$ 350 milhões a ser realizado em 5 anos por aporte de capital e/ou por receitas incrementais acima da média de receita entre os períodos de 2017 a 2021;
  5. Em caso de não cumprimento com o compromisso de investimento, o investidor poderá ser diluído até participação proporcional ao capital integralizado;
  6. Em caso de venda de participação majoritária para terceiro, o novo investidor precisará cumprir exigências de perfil, além de seguir os termos do acordo de acionistas e do atual acordo de investimento;
  7. Associação deterá vetos para assuntos que são hoje previstos pela lei (ex: alteração de logradouro, brasão, etc.);
  8. Associação deterá o direito de nomear 1 membro para o Conselho de Administração e 1 membro para o Conselho Fiscal, obtendo assim acesso a toda informação pertinente relativa à gestão do investidor da SAF;
  9. Ronaldo Nazário de Lima permanecerá obrigatoriamente como membro do Conselho de Administração até que a Tara Sports venda sua participação majoritária;
  10. Lock-up para venda de controle de 60 meses ou até cumprir integralmente compromisso de investimento dos R$ 350 milhões adicionais;
  11. Previsão de remuneração incremental para a Associação a partir da venda de controle da SAF assumindo retorno mínimo para o investidor;
  12. Opção de compra de participação do investidor em casos que impossibilitem o investidor continuar normalmente o curso do projeto estabelecido;
  13. Licenciamento da Marca Cruzeiro para a SAF, com pagamento de royalties para a Associação, após quitada todas as dívidas da Associação;
  14. Direito da associação de realizar uma primeira oferta pela participação do acionista majoritário caso o mesmo inicie um processo organizado de venda.

Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Jornalista pela PUC Minas, Pedro Leite é repórter de esportes da Itatiaia. Tem experiência na cobertura diária de portais, redes sociais e jornal impresso. Apaixonado por futebol, já passou pelo Superesportes.
Guilherme Piu é jornalista esportivo com experiência multiplataforma: digital, revista, rádio e TV. Tem dois livros publicados e foi premiado em festivais de cinema no Brasil e no exterior, dentre eles o Cinefoot. Cobriu grandes eventos, como Copa do Mundo, Olimpíada, Copa América e torneios de futebol. Passou por Hoje em Dia, Uol e Revista Placar.
Emerson Pancieri é setorista do Cruzeiro na Rádio Itatiaia, onde atua desde 2016. Graduou-se em Jornalismo pela Newton Paiva, em 2009. Passou também por Transamérica, O Tempo, Band News, Rádio Globo e CBN (onde foi setorista do Cruzeiro de 2012 a 2016 e cobriu o bicampeonato brasileiro 2013 e 2014, além da Copa no Brasil).
Leia mais