Ouvindo...

Times

Presidente do Fortaleza cita o Cruzeiro sobre dificuldade do Brasileiro em 2023

Marcelo Paz elencou a qualidade de dirigentes da Raposa para falar dos altos e baixos que os clubes vivem na temporada

O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, concedeu entrevista coletiva, nesta quinta-feira (16), para falar principalmente da situação do time na temporada. É o pior momento da equipe comanda por Juan Pablo Vojvoda, sem ganhar há sete jogos. No Brasileiro são cinco derrotas e um empate nos seis últimos embates.

Para o dirigente, o futebol vive de altos e baixos. E para exemplificar que muitas vezes a qualidade não se transforma em resultado, Paz citou o Cruzeiro. Os mineiros serão os próximos adversários do Fortaleza, neste sábado (18), na Arena Castelão, na capital cearense, em jogo atrasado da 30ª rodada da Série A. O início será às 18h30 (de Brasília).

“O Cruzeiro tem o Ronaldo, o Paulo Autuori, que vai ser o técnico agora, o D’Alessandro, o Paulo André. Todos que entendem muito de futebol, e o time com uma pontuação, 37 pontos, até mais baixa do que a nossa. Futebol não é algo linear, e é muito difícil gerir. Uma hora é o momento de alta, na outra de baixa”, disse Paz.

O Fortaleza está na 12ª colocação, com 43 pontos, mas com dois jogos a menos, igual ao Cruzeiro. Com 37 pontos, a Raposa está na 17ª colocação, a primeira dentro da zona do rebaixamento. Ambos ainda jogam seis vezes até o final do campeonato.

“O Campeonato Brasileiro deste ano é um dos mais difíceis dos últimos anos, eu disse isso para vocês [jornalistas] tem umas 15 rodadas. O Palmeiras oscilou, o Botafogo oscilou, o Grêmio, o Atlético. O Flamengo estava numa turbulência, e agora parece que acalmou com o Tite. Lá embaixo, acham que alguém vai entregar? O Vasco está aí, com 40 pontos. O Santos levou 4 a 0 da gente aqui, 7 a 1 do Inter, e está brigando para sair. Os níveis de dificuldade do futebol brasileiro são enormes”, disse.

Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais