Ouvindo...

Times

Renato Augusto quer virar treinador e planeja estágio com Diniz

Meia do Timão se declarou fã do técnico do Fluminense e interino da Seleção Brasileira

A alcunha de “treinador dentro de campo”, atribuída ao meia Renato Augusto, do Corinthians, logo pode ser alterada. O jogador, sempre elogiado pela consciência tática, externou o desejo de se tornar treinador e abriu um pouco da forma como gosta de enxergar o jogo.

Em entrevista à Placar, Renato Augusto se revelou como fã fã do trabalho do atual técnico do Fluminense e da seleção brasileira, Fernando Diniz, e expôs o seu pensamento sobre o futebol atual. O camisa 8 também fez elogios a Guardiola e fez uma crítica à forma como as equipes são montadas no atual momento.

“Eu sou um grande fã do Diniz. Eu gosto dele, acho bem interessante a forma como pensa. Já até falei para ele que queria entender como chega a isso, entendeu? Eu sempre tive vontade de trabalhar com Guardiola para poder entender da onde tira os espaços até ele chegar o gol, para entender o processo. O do Diniz eu acho interessante, realmente interessante. É um jogo muito diferente do Guardiola, que é muito posicional, enquanto o dele é livre, de realmente rodar o jogador, mas é um conceito interessante que te faz ficar com a bola”, afirmou o jogador.

“O que está acontecendo hoje em dia é que ficamos cada vez menos com a bola. Preferimos dar a bola e marcar o adversário. E a bola é o tesouro do jogo, ninguém faz gol sem a bola. Só tem uma. Então, eu gosto muito desses caras que querem a bola o tempo inteiro. ‘Ah, mas pô, teve posse de bola, mas perdeu o jogo?’ Sim, mas é uma coisa que eu acredito. Não é só o resultado, é o merecimento. Você vai merecendo ganhar, vai chegar uma hora que vai ganhar. Então, acredito muito nesse cara que quer a bola realmente para jogar. Gosto muito da ideia dele (Diniz), mas não sei como funciona o dia a dia. Analisando de fora é bem interessante”, acrescentou.

Renato Augusto, que já fez curso de treinador na CBF Academy, ainda pretende colocar mais alguns anos dedicados ao aprendizado. Para isso, mostrou interesse em estagiar junto a outros treinadores - entre eles, Fernando Diniz e Dorival Júnior.

“Graças a Deus me dou bem com praticamente todos os treinadores. E muitos que não trabalhei me dou muito bem. Felipão nunca trabalhei, e a gente se dá muito bem. Dorival sempre me dei muito bem. Então alguns treinadores que acabei não tendo a oportunidade, como o próprio Diniz, mas são caras que eu gosto e que eu acho que tem alguma coisa para te agregar. Então, mais para a frente, se eu tiver a oportunidade com certeza vou procurá-los”, concluiu.

Jornalista formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Responsável por acompanhar o dia a dia de Corinthians e Santos pela Itatiaia Esporte. Passagem também como repórter do portal Meu Timão
Leia mais