Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Rodrigo Caetano explica por que foi difícil trocar Atlético pela CBF

Ex-diretor de futebol do Galo concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira (21), na Arena MRV

Novo diretor de seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rodrigo Caetano comentou, nesta quarta-feira (21), sobre os motivos de ter deixado o Atlético. Segundo ele, em entrevista coletiva na Arena MRV, em Belo Horizonte, a oportunidade de estar na Seleção Brasileira é, a princípio, única na carreira de um profissional.

“Essa minha tomada de decisão foi muito pessoal, mas muito difícil. Ela foi pessoal e profissional, porque toda pessoa que milita no esporte almeja representar o seu país, assim como no vôlei e no basquete. Mas, em 20 anos de carreira, no momento que veio o convite, eu estava no clube que talvez tenha sido a minha maior identificação nesse período”, afirmou.

De acordo com Caetano, a forma como o Galo trata os seus funcionários é muito especial. Por esse motivo, sua saída se tornou ainda mais difícil antes de assumir o cargo na CBF.

“Foram muitos fatores. Claro que as conquistas. Isso aproxima demais, fideliza o torcedor. Mas a forma como eu fui acarinhado. O Galo tem, dentre muitos patrimônios, a sua torcida, a Arena, a Cidade do Galo. Ele tem um patrimônio, que são os seus funcionários. Muitas vezes, trabalham de forma invisível, mas com afinco e uma dedicação que vi em poucos”, complementou o ex-diretor de futebol.

Na ocasião, Rodrigo também agradeceu aos torcedores e aos investidores da Sociedade Anônima de Futebol (SAF) do Atlético pelo apoio. O dirigente enalteceu que sempre houve muito respeito e reconhecimento para com o seu trabalho.

“No fim, eles entenderam que era um projeto pessoal de um dia poder representar o nosso país em uma outra condição. Por tudo isso, saio daqui com as portas abertas e parte do dever cumprido. Mas sob o olhar de alguém que entregou muito comprometimento e muito trabalho. É o reconhecimento dos donos e do torcedor que me encontra nas ruas”, finalizou.

Rodrigo Caetano na CBF

Rodrigo Caetano chegou à CBF para substituir Juninho Paulista. Em janeiro de 2023, o ex-jogador deixou a entidade, pouco depois da Copa do Mundo de 2022, no Catar, junto com a comissão técnica de Tite.

Na CBF, Juninho Paulista trabalhou como coordenador da Seleção Brasileira masculina principal entre agosto de 2019 e janeiro de 2023, como substituto de Edu Gaspar.

Desde 2021 no Atlético, Rodrigo Caetano viu a equipe conquistar seis títulos: Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Supercopa do Brasil e três edições do Campeonato Mineiro.

O executivo, de 53 anos, tinha contrato com o Atlético até o fim de 2026. O diretor foi alvo de outros clubes, como o Corinthians, recentemente, mas o Galo conseguiu mantê-lo.

Leia também

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Repórter setorista do Atlético, na Radio Itatiaia.
Leonardo Garcia Gimenez é repórter multimídia na Itatiaia. Natural de Arcos-MG e criado em Iguatama-MG. Passou também pela Record Minas.
Jornalista formado na PUC Minas. Experiência com reportagens, apresentação e edição de texto em televisão, rádio e web. Vivência em editorias de Cidades e Esportes.
Leia mais