Ouvindo...

Times

4R’s do Atlético divulgam carta aberta ao Conselho antes de votação da SAF

Investidores são os principais membros da Galo Holding, empresa que comprará 75% das ações da SAF do clube

Investidores do Atlético e principais membros da Galo Holding, empresa que comprará 75% das ações da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) do clube, Rubens Menin, Rafael Menin, Ricardo Guimarães e Renato Salvador, conhecidos como os 4 R’s, enviaram uma carta aberta ao Conselho Deliberativo do Galo.

“Em primeiro lugar, nosso propósito é o de construir um Clube que caminhe de forma sustentável, sem deixar de ser cada vez mais vencedor”, dizem os 4 R’s em parte da carta.

No documento enviado aos conselheiros, o quarteto diz entender que a SAF é o único caminho para que o Atlético seja sustentável.

“Até hoje, fizemos tudo o que esteve ao nosso alcance. Há muitos anos, ajudamos o Clube, em momentos difíceis e importantes, como vocês bem sabem. Agora, temos de buscar o caminho da sustentabilidade, e a SAF é a única opção que entendemos possível para isso”.

Os 4 R’s afirmam ainda que já erraram em tentar conduzir o clube com uma visão empresarial, mas que tudo serviu de aprendizado para a condução da SAF.

“Somos todos atleticanos e ninguém é à prova de falhas. Já erramos no passado, em nosso entusiasmo de transmitir à torcida uma visão empresarial, que é diferente da realidade do futebol. Aprendemos com isso e continuaremos a aprender mais, a cada dia”.

A votação

A divulgação da carta aconteceu na véspera do início da votação para aprovação ou não da transformação do clube em Sociedade Anônima do Futebol (SAF). A partir das 8h desta quinta-feira (20), o Conselho Deliberativo vai decidir o futuro do Alvinegro. Os conselheiros poderão votar presencialmente, na sede do clube, no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte, ou de forma virtual.

Para que a venda da SAF seja aprovada, é necessário que 2/3 do Conselho Deliberativo seja favorável. Atualmente, são 420 conselheiros. Desta forma, 280 membros precisam votar a favor.

A diretoria do Atlético divulgou um documento ao Conselho Deliberativo. Nele, estão detalhados alguns pontos para o entendimento do projeto.

O texto informa que mais de 100 investidores foram ouvidos para que houvesse o possível aporte financeiro. O alto endividamento da associação e a falta de segurança jurídica teriam sido os principais obstáculos para a venda a um grupo sem ligação com a instituição.

Sobre a operação financeira, o documento explica que o Atlético foi avaliado em R$ 2,1 bilhões. Na proposta feita pela Galo Holding, a SAF assumiria a dívida do clube, avaliada em R$ 1,8 bilhão neste momento.

O aporte total da operação seria de R$ 913 milhões, sendo que R$ 313 milhões seriam conversão de dívida com os 4Rs e R$ 600 milhões a injeção de dinheiro novo. Desses R$ 600 milhões, R$ 400 milhões seriam aportados pelos 4Rs (Rubens Menin, Rafael Menin, Renato Salvador e Ricardo Guimarães). Ainda haveria dois fundos de investimentos, com R$ 100 milhões de cada.

Veja a carta dos 4 R’s aos conselheiros do Atlético

Carta Aberta ao Conselho Deliberativo do Galo

Caros Conselheiros(as), boa tarde!

A proposta da SAF do Galo está na mesa, para que vocês decidam sobre o nosso futuro.

Entendemos que seja oportuno, nesse momento que antecede à votação, estabelecermos um compromisso, com transparência e franqueza, daquilo que desejamos fazer com o nosso Galo, obedecendo sempre princípios da ética e da boa governança.

Em primeiro lugar, nosso propósito é o de construir um Clube que caminhe de forma sustentável, sem deixar de ser cada vez mais vencedor.

Não podemos e não queremos esquecer nossa história, nossas conquistas e, muito menos, nosso orgulho de ser o maior Clube de Minas e um dos maiores do Brasil.

Até hoje, fizemos tudo o que esteve ao nosso alcance. Há muitos anos, ajudamos o Clube, em momentos difíceis e importantes, como vocês bem sabem.

Agora, temos de buscar o caminho da sustentabilidade, e a SAF é a única opção que entendemos possível para isso.

É claro que isso não acontece do dia para a noite. Sobretudo em um país onde, rapidamente, os juros dispararam de 2% para 13,4%. As condições econômicas impactaram (e continuam a impactar) duramente a vida do Clube.

A despeito dos obstáculos que se apresentam, contudo, é preciso continuar sonhando e realizando - temos consciência disso! Essas dificuldades não nos impediram, por exemplo, de construir a Arena MRV, que é a mais moderna e tecnológica da América Latina, e representa um exemplo concreto do futuro grandioso que desejamos construir para o Galo - ao lado de vocês.

O sentimento é um só.

Somos todos atleticanos e ninguém é à prova de falhas. Já erramos no passado, em nosso entusiasmo de transmitir à torcida uma visão empresarial, que é diferente da realidade do futebol. Aprendemos com isso e continuaremos a aprender mais, a cada dia.

Nas palavras de Churchill: Não temos nada a oferecer senão sangue, trabalho, suor e lágrimas.

Nosso desejo é que o sangue e o suor sejam dos nossos jogadores; o trabalho, dos dirigentes e funcionários; e as lágrimas, da alegria dessa inigualável Massa Atleticana.

Rafael Menin

Renato Salvador

Ricardo Guimarães

Rubens Menin

Túlio Kaizer é jornalista esportivo com grande experiência no digital. Foi setorista dos três grandes clubes do futebol mineiro: América, Atlético e Cruzeiro. Cobre também basquete, vôlei, esportes americanos, esportes olímpicos e e-sports.
Leia mais