Ouvindo...

Times

Palhinha foi o camisa 10 de time marcante da história do Atlético

Vanderlei Eustáquio de Oliveira faleceu na manhã desta segunda-feira (17), em Belo Horizonte

Tido por muitos como o time mais qualificado da história do clube, o Atlético de 1980 e 1981 teve como camisa 10 Vanderlei Eustáquio de Oliveira, o Palhinha. O craque era uma das estrelas da equipe que conquistou o vice-campeonato do Campeonato Brasileiro de 1980 e era o mais experiente do poderoso ataque formado por Éder, Reinaldo e Pedrinho.

O ex-jogador morreu na manhã desta segunda-feira (17), aos 73 anos. Por causa de uma infecção, o ele estava internado em um hospital de Belo Horizonte nos últimos dias.

Revelado pelo Cruzeiro, Palhinha começou a carreira como um atacante avançado e passou a atuar como um meia-atacante na segunda metade da carreira, quando chegou ao Atlético após uma passagem marcante pelo Corinthians entre 1976 e 1979. No time paulista, ele conquistou o histórico Campeonato Paulista de 1977.

Com a camisa do Galo, entre os anos 1980 e 1981, vestindo o número 10, o craque marcou 27 gols em 77 partidas. Nessa passagem, foi bicampeão mineiro e também conquistou Torneio Costa do Sol, na Espanha.

Em vida, Palhinha revelou mágoa por não ter conquistado o Campeonato Brasileiro de 1980 com o timaço alvinegro. O ex-jogador lamentou as decisões da arbitragem no jogo de volta contra o Flamengo, no Maracanã.

Em uma jogada com Reinaldo, quando a partida estava empatada em 2 a 2 (resultado que já daria o título ao Galo), ele sairia na cara do gol contra o goleiro Raul Plasmann, ex-companheiro de Cruzeiro. Após sinalização do bandeirinha Carlos Sérgio Rosa Martins, José de Assis Aragão marcou o impedimento inexistente e expulsou Reinaldo na sequência do lance. Nunes marcaria o gol do título Rubro-Negro minutos depois.

“Quando a partida estava 2 a 2, fiz uma tabela com o Reinando e ia entrar sozinho (na cara do gol). Eu tinha a possibilidade de fazer o gol. Nessa oportunidade, o bandeira deu impedimento e o Aragão expulsou o Reinaldo. Sem contar que, em Goiânia, o Wright expulsou todo o nosso time”, disse em entrevista à BH News.

Palhinha era o capitão do Atlético na partida inacabada com o Flamengo na Copa Liberadores do ano seguinte. O craque fez parte das conquistas do Galo nos Campeonatos Mineiros de 1980 e 1981, que fizeram parte do hexacampeonato histórico do clube entre 1978 e 1983.

Hugo Lobão é repórter multimídia do portal Itatiaia Esporte. É formado em Jornalismo pela PUC Minas. Antes da Itatiaia, passou por Hoje Em Dia, Record e Globo Esporte. Amante de esportes olímpicos.
Leia mais