Ouvindo...

Times

Vini Jr., do Real Madrid, é chamado de ‘macaco’ por torcedor do Barcelona

Atacante brasileiro foi novamente vítima de atos racistas em um duelo pela LaLiga

Atacante do Real Madrid e da Seleção Brasileira, Vinícius Júnior foi novamente vítima de racismo neste sábado (28). Enquanto o jogador duelava no clássico contra o Barcelona, pela LaLiga, um torcedor do clube catalão foi flagrado chamando o camisa 7 de “macaco”.

Por meio das redes sociais, o jornalista brasileiro Victor Boni, do Marca, filmou o torcedor que estaria chamando Vinícius Júnior de “mono” (macaco, em espanhol).

No maior clássico da Espanha, o Real Madrid buscou uma heroica virada contra o Barcelona na manhã deste sábado (28), por 2 a 1, no Estádio Olímpico Lluís Companys, pela 11ª rodada da LaLiga. Enquanto Ilkay Gundogan abriu o placar para o Barça, Jude Bellingham empatou e virou para o time merengue.

Aos seis minutos do primeiro tempo, o Barcelona se aproveitou de um erro do sistema defensivo e abriu o placar diante do seu torcedor.

Contudo, mesmo melhor em grande parte do jogo, os catalães viram Bellingham, em um chute de fora da área, deixar tudo igual aos 23 minutos do segundo tempo. Já nos acréscimos, aos 47', depois de um desvio providencial de Modric, o camisa 5 garantiu o resultado positivo.

Como ficou a tabela

Com o resultado, o Barcelona permaneceu na 3ª posição na tabela, com 24 pontos, quatro a menos que o líder Real Madrid, com 28. O Girona, com os mesmos 28, perdeu a liderança e está atrás somente pelo saldo de gols: 15 a 12.

Vini Jr. foi alvo de racismo na semana passada

Na semana passada, durante o jogo contra o Sevilla, Vinícius Júnior também foi alvo de racismo. Na ocasião, diversos torcedores foram flagrados xingando e hostilizando o brasileiro com gritos de cunho racista.

Os casos ocorreram depois de confusão com o atacante argentino Lucas Ocampos, do Sevilla. O entrevero foi próximo à beira do campo, e Vini Jr., ao observar os gestos direcionados a ele por torcedores, irritou-se.

Na sequência, a confusão em campo foi apartada. A partida não foi interrompida e terminou em 1 a 1. Tanto Ocampos quanto Vini Jr. foram amarelados por conta da confusão.

O jogo contou com gols do zagueiro austríaco do Real, David Alaba, contra, aos 29 minutos do segundo tempo, e do lateral-direito Dani Carvajal, quatro minutos depois, para sacramentar o empate.

Torcedor expulso, segundo o Sevilla

O Sevilla se manifestou logo após a partida e afirmou que, ao identificar um torcedor, o expulsou. Leia, abaixo, o comunicado do clube na íntegra.

“O Sevilla FC informa que após detectar comportamento xenófobo e racista de um torcedor em suas arquibancadas, procedeu à sua identificação e expulsão do estádio.

O Sevilla FC gostaria de informar que após detectar comportamentos xenófobos e racistas de um torcedor em suas arquibancadas, o identificaram, expulsaram-no do estádio e denunciaram-no às autoridades policiais que trabalhavam em nosso estádio. Além disso, os regulamentos disciplinares internos serão estritamente aplicados a ele e ele será expulso como membro em breve.

O Sevilla FC é contrário e condena qualquer comportamento racista e xenófobo, mesmo que isolado, como é o caso, e mostra a sua disponibilidade e colaboração com as autoridades para erradicar estas atitudes, que não representam um torcedor como o do Sevilla”.

Também pelas redes sociais, Vini Jr. se manifestou. “Parabéns ao Sevilla pelo rápido posicionamento e pela punição em mais um triste episódio para o futebol espanhol.

Infelizmente, tive acesso a um vídeo com outro ato racista na partida deste sábado, dessa vez praticado por uma criança. Lamento muito que não haja ninguém para educá-la. Eu invisto, e invisto muito, na educação no Brasil para formar cidadãos com atitudes diferentes dessas.

O rosto do racista de hoje está estampado nos sites como em várias outras vezes. Espero que as autoridades espanholas façam sua parte e mudem a legislação de uma vez por todas. Essas pessoas têm que ser punidas criminalmente também.

Seria um ótimo primeiro passo para se preparar para a Copa do Mundo de 2030. Estou à disposição para ajudar.

Desculpem parecer repetitivo, mas é o episódio isolado número 19. E contando...”.

Mais um caso

Vinícius Júnior virou alvo recorrente de racismo na temporada passada, apesar de sofrer com atos racistas desde quando chegou ao Real, em julho de 2018. Em maio deste ano, em jogo contra o Valencia, após mais um caso, o mundo do futebol se solidarizou com o brasileiro.

Leonardo Garcia Gimenez é repórter multimídia na Itatiaia. Natural de Arcos-MG e criado em Iguatama-MG. Passou também pela Record Minas.
Leia mais