Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Veja as datas projetadas pela Fifa para a disputa da Copa-2030 em seis países

Entidade explicou que as seis seleções que jogarem na América do Sul só voltarão a campo na Europa ou África 12 ou 13 dias depois

A direção da Fifa apresentou uma estimativa de datas para a disputa da Copa do Mundo de 2030. O documento foi enviado a membros do Conselho da entidade, e agora tornado púbico após críticas que a federação internacional recebeu porque o torneio terá partidas em seis países, de três continentes.

Argentina, Uruguai e Paraguai serão sedes de apenas um jogo cada na Copa de 2030, em modelo inédito anunciado pela Fifa na quarta-feira (4). Ou seja: seis seleções, incluindo essas três e outras que serão definidas em 2029 após o término das Eliminatórias e o sorteio das chaves, jogarão na América do Sul esses jogos chamados de “celebração dos 100 anos”. Depois terão que viajar para Portugal, Espanha ou Marrocos, as sedes de fato, para os dois confrontos finais da primeira fase em seus grupos.

E como será isso?

A Fifa ainda não definiu exatamente as datas da Copa-2030, mas colocou no papel uma projeção para explicar aos membros do Conselho, e tornar factível o plano, que os times que jogarem na América do Sul terão de 12 a 13 dias entre a estreia e o segundo confronto para ter tempo de fazer a longa viagem entre continentes, descansar e treinar. Ficaria assim:

  • 8/9 de junho de 2030 (sábado e domingo): os três jogos da celebração dos 100 anos da Copa em Montevidéu, Buenos Aires e Assunção. Serão seis seleções em ação.

  • 13 ou 14 de junho de 2030 (quarta e quinta): Cerimônia de abertura da Copa, com os jogos inaugurais nas três sedes principais;

  • 15/16 de junho de 2030 (sábado e domingo): primeiro jogo dos outros times que estarão nos grupos encabeçados por Argentina, Uruguai e Paraguai. Seis seleções em campo;

  • 21/22 de junho de 2030 (sexta e sábado): segunda rodada para todos os times dos grupos de Uruguai, Argentina e Paraguai, 12 seleções em campo;

  • 21 de julho de 2030 (domingo): a final da Copa do Mundo, provavelmente em Madri, na Espanha.

Por que a Fifa criou esse modelo de organização?

A direção da Conmebol costurou esse acordo diretamente com o presidente da Uefa (União Europeia de Futebol), Aleksander Ceferin, após não conseguir o apoio da Ásia, que seria fundamental na votação do Conselho da entidade, em 2034, para que sua candidatura quádrupla (Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile) vencesse a concorrência de Portugal/Espanha/Marrocos.

Há mais de um mês que essa negociação ocorre. Dominguez ligou diretamente a Ceferin quando soube que provavelmente perderia o Mundial, sugerindo a ideia de que alguns jogos pudessem ser realizados na América do Sul, como parte da comemoração do centenário da competição, que teve sua primeira edição no Uruguai, em 2030.

Ceferin, que é esloveno, conversou com os representantes das candidaturas de Espanha e Portugal, e com o presidente da CAF (Confederação Africana de Futebol), o sul-africano Patrice Motsepe, que não se opuseram. A Federação Marroquina, que tem boa relação com a CBF, também deu o ok.

Conmebol, Uefa e CAF levaram a ideia ao presidente da Fifa, Gianni Infantino, que colocou em pauta em reunião do Conselho da entidade, feito por videoconferência nesta quarta-feira (4). E foi aprovada.

Por questões burocráticas, a Fifa não pode anunciar isso como oficial, apesar de ter confirmado as informações em nota, já que é o Congresso da entidade que decide, em votação dos 211 filiados, as sedes de Copa do Mundo. Isso será feito no ano que vem.

ideia da Conmebol era ter jogos também no Chile, que fazia parte da candidatura quádrupla da América do Sul, junto com Argentina, Uruguai e Paraguai, mas o entendimento foi de que três jogos, em três países, bastariam. O Chile deve ser, no futuro, recompensado como sede de algum torneio de base da Fifa ou da Conmebol.

O Paraguai se manteve incluído no projeto porque a Conmebol quer construir um estádio na capital Assunção, para 45 mil pessoas, mas que pode ser ampliado a 60 mil para o jogo da Copa. A procura por investimento para a obra está ligada diretamente à inclusão da arena no Mundial.

O jogo no Uruguai será no estádio Centenário, em Montevidéu, palco da final da Copa do Mundo de 1930, e na Argentina será em Buenos Aires, no Monumental de Nuñez, campo do River Plate.

Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais