Ouvindo...

Times

Taylor Swift: fãs acampam na fila no Engenhão para último show no Rio de Janeiro

Itatiaia flagrou fã fazendo até trabalho da faculdade na fila do estádio à espera da loirinha

Taylor Swift encerra nesta segunda-feira (20) a passagem da “The Eras Tour” pelo Rio de Janeiro. O show, que foi remarcado de sábado (18) por conta do calor insuportável, teve o horário de início adiado em 1h por conta das condições climáticas.

No início da tarde de hoje, a Itatiaia presenciou milhares de fãs na fila, antes da abertura dos portões no estádio Nilton Santos, o Engenhão, na Zona Norte do Rio.

Entre eles está Pedro Deison, de 20 anos, que saiu de Belo Horizonte com amigos. Eles estão acampados na porta do Engenhão desde sexta (17), fazendo revezamento para estar entre os primeiros a entrar no estádio.

Pedro conta que fez amigos na fila e reclama do calor desumano.

Realmente era um calor desumano, não dava para aguentar. No sábado, essa fila aqui era apenas um túnel de cangas amarradas, porque não dava para ficar um centímetro do corpo no sol. Lá dentro, parecia uma airfryer. Só vento quente. Mas agora vai dar tudo certo no show de hoje.

Na sexta-feira (17), no primeiro show de Swift em solo brasileiro, o sol não deu trégua e a sensação térmica no estádio chegou a 57 ºC. Uma fã, Ana Clara Benevides, de 23 anos, passou mal no início da apresentação e foi socorrida, mas morreu em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. A Polícia Civil investiga o que provocou o mal-súbito. No sábado, quando a segunda apresentação foi adiada, a cidade marcou 42,5°C.

Para o show desta segunda (20), no entanto, a previsão é de temperatura amena, em torno de 24 °C na capital fluminense. Por conta do calor, a apresentação de Taylor Swift foi adiada em 1h e deve começar às 20h30.

Primeiro da fila nesta segunda (20) para entrar no Engenhão, Marcos Paulo Lopes Rodrigues, de 25 anos, veio do Ceará. Ele conta à Itatiaia que passou mal de calor no sábado (18) e se frustrou com o cancelamento do show.

Eu cheguei na fila ontem (domingo), às 16h35, para o show de segunda. Para o show de sábado, eu cheguei na sexta à noite. Fiquei na fila, aquele perrengue todo. Quando entramos, tivemos a notícia do cancelamento. Fique em choque... mas bola pra frente. Eu cheguei a passar mal aqui fora e lá dentro. Eles disponibilizaram água, mas não tinha proteção alguma contra o sol. O chão dentro do estádio é de metal, ficava cada vez mais quente. Mas hoje, está super tranquilo.

Acampado desde setembro

Bruno Iago, de 31 anos, está acampado na porta do Engenhão desde setembro. Ele e amigos, inclusive, alugaram uma casa em frente ao estádio para garantir um lugar entre os primeiros da fila para os shows de Taylor Swift e do RBD (na semana passada). Ele garante que ainda vai a São Paulo, na próxima semana, ver a loirinha de perto.

Eu e meus amigos nos revezamos para os shows do RBD e da Taylor. A gente alugou uma casa aqui na frente para ajudar. Guardamos cooler, água, comida, foi o que sustentou a gente... Ninguém passou mal com o calor. Comprei ingresso para os três shows e ainda vou em São Paulo também. Tenho ingresso, mas não sei como vou. Não tenho passagem e nem lugar para ficar lá

Bruno reclama de desorganização da produtora T4F, o que teria contribuído para que fãs passassem mal de calor.

No sábado, o calor foi intenso! Até para a gente que é carioca. O cancelamento, para mim, foi de forma irresponsável. Eu não culpo a artista, mas culpo a produtora e os responsáveis do estádio, principalmente pela falta de organização e assistência às pessoas

Trabalho da faculdade

Milhares de fãs que esperavam já estar em casa nesta segunda-feira (20) ficaram no Rio para o show adiado. E cada um se vira como pode. A reportagem flagrou Fernanda Amaral, de 20 anos, que é de Belo Horizonte, fazendo trabalho de faculdade na fila do Engenhão. Pelo celular, ela marcava as respostas.

Estou fazendo trabalho pelo celular aqui fila. Não tem jeito! Eu tinha avisado meu professor, espero que ele aceitem, já que é por um bom motivo né? Eu estou na casa do meu tio e só vou embora amanhã à noite. Nosso check-out no hotel acabou e não temos mais dinheiro. Nós conseguimos remarcar só a passagem

Emyle de Lima Antunes, de Santa Cruz (RJ), de 23 anos, contou que no sábado, após o show cancelado, um funcionário da T4F, empresa responsável pela turnê da cantora no Brasil, teria negado um copo de água para ela.

“Vi um vendedor da T4F e perguntei ele se estavam dando água. Ele disse que só vendia e no dinheiro. Eu insisti porque tinha apenas cartão... Eu não tinha! Implorei por um simples copo de água e ele disse que sentia muito e foi embora”, desabafa.

Ainda segundo Emyle, o copo de água de 315 ml custava R$ 8 e estava quente.

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH), já trabalhou na Record TV e na Rede Minas. Atualmente é repórter multimídia e apresenta o ‘Tá Sabendo’ no Instagram da Itatiaia.
Diana Rogers tem 34 anos e é repórter correspondente no Rio de Janeiro. Trabalha como repórter em rádio desde os 21 anos e passou por cinco emissoras no Rio: Globo, CBN, Tupi, Manchete e Mec. Cobriu grandes eventos como sete Carnavais na Sapucaí, bastidores da Copa de 2014 e das Olimpíadas em 2016.
Leia mais