Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Minaspetro culpa distribuidoras por aumento da gasolina além do esperado: ‘simplesmente repassa’

O aumento será de R$ 0,34 na gasolina e R$ 0,22 no etanol por conta do aumento de tributos federais

O presidente do Minaspetro, Rafael Macedo, afirmou que os donos de postos de combustível são “reféns da cadeia no geral” e que o aumento dos combustíveis na bomba segue a alta das distribuidoras. Além disso, Macedo explicou que foi pego no “susto” com o aumento dos tributos, já que a Medida Provisória que regulava as alíquotas não foi votada pelo Congresso e perdeu a validade.

A previsão era de que os impostos voltassem a ser cobrados no dia 1º de julho. Segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), a alta de tributos representará aumento de R$ 0,34 por litro para a gasolina e de R$ 0,22 no etanol.

“Desde semana passada a gente vinha sofrendo com falta de produto e um desbalanceamento artificial, até por parte das distribuidoras, que em alguns casos aumentaram inclusive na semana passada e durante esta semana, antes dessa majoração do tributo. Eu mesmo percebi um aumento maior do que os 34 centavos. A gente recebe esse reajuste simplesmente repassa para o consumidor final”, explica Macedo.

O presidente do Minaspetro também explicou o motivo de o aumento ser repassado imediatamente ao consumidor, enquanto a redução dos preços demora alguns dias. Segundo Macedo, isso se dá pela diferença repassada pelas próprias distribuidoras.

“O dono de posto recebe esse valor da distribuidora, que faz esse movimento de forma mais calculada e mais matemática. O revendedor simplesmente recebe aquele combustível num preço majorado ou inferior e passa na bomba, à medida que tem os seus custos estáveis. O dono de posto tem uma menor margem, porque ainda tem que empregar uma série de funcionários, pagar todos os seus custos”, explicou.

Macedo afirmou, ainda, que o dono de posto não possui um estoque de combustível, ou seja, recebe o produto praticamente todos os dias da revendedora. O dono do posto usaria o dinheiro recebido em um dia para comprar o combustível do próximo. Por isso, ele precisa aumentar o preço imediatamente para conseguir comprar o combustível no dia seguinte com o preço elevado.

“Existe uma ideia de que o revendedor tem estoque, mas, na verdade, a reposição de estoque em um posto de combustível acontece praticamente todos os dias, então ele não tem muita margem de manobra. Isso é diferente das distribuidoras, que permanecem ali com o estoque às vezes de sete dias, dez dias. O dono de posto paga o combustível dele com um dia, então, ele vai arrecadar hoje para pagar o combustível de amanhã”, completou.

A Rádio de Minas. Tudo sobre o futebol mineiro, política, economia e informações de todo o Estado. A Itatiaia dá notícia de tudo.
Leia mais