Ouvindo...

Times

Mineira de 10 anos com doença grave recebe transplante de coração após dois meses internada

Lavínia passou por cirurgia nesta terça (30) e pode ter alta em até 30 dias; família segue fazendo campanha para incentivar a doação de órgãos

A pequena Lavínia, mineira de Medeiros (MG) que estava internada desde o início de abril por conta de uma doença cardíaca grave, finalmente recebeu um transplante de coração nesta terça-feira (30) e está há poucos dias de “voltar a ter uma vida normal”.

Michelle Cruvinel, dentista e mãe de Lavínia, conta que a família recebeu a notícia de um possível doador na noite de segunda-feira (29). Após vários exames,a equipe médica chegou à conclusão de que o órgão era compatível. O coração foi transportado pela Força Aérea Brasileira (FAB) e Lavínia passou por cirurgia nesta terça (30).

“Rapidamente trouxeram o órgão e a operação foi feita em 3 ou 4 horas. Nós não tivemos nenhuma informação sobre quem doou ou de onde veio o órgão, tudo isso é sigilo.”

Em um vídeo compartilhado nesta manhã nas redes sociais, Lavínia disse que o coração foi “presente mais especial da vida” e disse estar grata pela família que, apesar de chorar a perda de uma pessoa querida, autorizou a doação de órgãos. Ela voltou a incentivar o ato de solidariedade.

“Compartilhem, enviem nos grupos. Assim como eu estou tendo essa chance, quero que todas essas milhares de pessoas que estão na fila tenham também essa chance também. A vida precisa continuar. Orem por mim e mandem energias positivas.”

A mãe de Lavínia conta que a filha ficou “felicíssima” com a notícia. A expectativa é que a menina tenha alta em até 30 dias. Michelle conta que nem precisa fazer planos para a “nova vida” da filha, já que eles já estão prontos há muito tempo.

Relembre o caso

Lavínia, de 10 anos, possui miocardiopatia hipertrófica, uma doença que leva ao desenvolvimento excessivo do músculo do coração.Com três anos, a menina colocou um marcapasso no coração. A dentista conta que, com o passar dos anos, o sistema cardíaco da filha foi ficando enfraquecido, e a criança passou a adoecer mais facilmente, sendo internada várias vezes. A última foi no início de abril, quando ela deu entrada no Hospital Albert Einstein e precisou ficar, aguardando a chegada de um novo coração.

Pelo Instagram, no perfil “Coração Para Lavínia”, a família faz campanha para doações de órgãos, não apenas de coração, beneficiando também outras pessoas. Em vídeos e fotos, Lavínia fala sobre sua rotina no hospital, esclarece dúvidas sobre a doação de órgãos e pede o apoio de outros internautas em prol da causa.

“No Brasil, são mais de 50 mil pessoas na fila por um órgão. Muita gente precisa, mas o Governo não faz campanha. Só quem passa por essa situação fala sobre o assunto. As pessoas precisam deixar registrado em escrito que querem ser doadores, precisam falar com familiares sobre o assunto. A população precisa se conscientizar”, disse Michelle Cruvinel, mãe de Lavínia.

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Leia mais