Ouvindo...

Times

Grávida de sêxtuplos ficará 2 meses internada até nascimento de bebês

A mãe de Théo, Matteo, Lucca, Henry, Maytê e Eloá vai completar 23 semanas de gestação neste sábado (2)

Uma mulher, grávida de sêxtuplos, será internada para aguardar o nascimento dos bebês, na próxima terça-feira (5), em Colatina, no Espírito Santo. A expectativa dos médicos é que a dona de casa Quezia Romualdo, de 29 anos, permaneça na unidade por cerca de dois meses.

A mãe de Théo, Matteo, Lucca, Henry, Maytê e Eloá vai completar 23 semanas de gestação neste sábado (2). Segundo Quezia, o médico obstetra Thiago Martinelli decidiu pela internação, após um exame de ultrassom, realizado nesta terça-feira (29).

O médico, que acompanha a dona de casa desde a descoberta da gravidez, também irá preparar uma força-tarefa para o parto dos bebês. “Ela está entrando em uma época mais arriscada. Até agora está tudo bem, mas existe um risco grande de nascimento prematuro. Vamos internar para prevenção e acompanhamento mais próximo, diário”, esclareceu o médico ao G1.

Nas redes sociais, Quezia explicou que a internação é por precaução. Ela ainda disse que o desenvolvimento das crianças estão dentro do esperado. “O colo do útero afinou muito de terça-feira passada para esta (do dia 22 para o dia 29). Afinou muito mesmo, mesmo em repouso, quietinha, o dia todo na cama, só levantava para ir ao banheiro e tomar água. Ele afinou porque o peso da barriga tá muito grande. A barriga tá enorme, eu não tô aguentando mais, gente!”, disse.

Família se organiza para acompanhar Quezia no hospital

De acordo com o marido, o marceneiro Magdiel Costa, de 31 anos, durante o tempo em que Quezia ficará internada, a dona de casa vai contar com a ajuda da sogra e da mãe. “A minha mãe se mudou para a minha casa e vai me ajudar muito a continuar cuidando das coisas. Já a mãe de Quezia vai acompanhá-la em tempo integral no hospital. Eu vou continuar trabalhando e me desdobrando com as visitas no hospital para vê-la”, contou.

Os dois já são pais de Heloísa, de cinco anos. Magdiel conta que a filha sentirá saudade já que nunca ficou tanto tempo longe da mãe. “A gente conversa muito com Helô e ela está entendendo tudo muito bem. Também está ansiosa pelos irmãozinhos”, disse.

Hospital prepara força-tarefa para parto

Para se preparar para o parto dos sêxtuplos, o hospital precisará multiplicar por seis toda a sua operação. Segundo o obstetra, as crianças devem nascer após o mês de setembro.

“A gente vai precisar de todo o suporte que a medicina oferece. É tudo multiplicado por seis. No dia serão seis pediatras, por exemplo, um para cada criança. Também já estamos comprando ventiladores mecânicos e incubadoras com umidificador. É como se a gente fosse montar uma segunda Uti dentro do hospital. O mais importante é a gente dar todo o suporte para essas crianças”, explicou a diretora técnica do São Bernardo Apart Hospital, Júlia Mattedi, onde os bebês devem nascer.

De acordo com Mattedi, normalmente, o hospital possui quatro pediatras. Para o nascimento dos bebês, será preciso um número maior de profissionais. Para isso, foi criada uma lista de interesse. Os médicos ficarão sobreaviso e serão acionados quando Quezia entrar em trabalho de parto. “Já existe até uma disputa para colocar o nome na lista de sobreaviso. Todo mundo quer participar desse momento. Tem até gente de fora pedindo para vir assistir o parto”, disse a diretora.

Além dos pediatras, outras especialidades ficarão de sobreaviso. A lista inclui oftalmologista, cardiologista pediátrico, neuropediatra e até cirurgião pediátrico. Depois de nascer, os bebês devem ficar por alguns dias na UTI, até ganharem peso para irem para casa.

Fernanda Rodrigues é repórter da Itatiaia. Graduada em Jornalismo e Relações Internacionais, cobre principalmente Brasil e Mundo.
Leia mais