Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Presidente do Vitória é suspenso após soltar o verbo contra árbitro do Baianão

Por decisão do TJD-BA, Fábio Mota ficará afastado do cargo pelo período de 15 dias; gestor já entrou com pedido de efeito suspensivo

O presidente do Vitória, Fábio Mota, foi suspenso por 15 dias do cargo. A punição, estabelecida pelo Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia (TJD-BA) nesta quarta-feira (28), ocorre após o dirigente soltar o verbo contra o árbitro Marielson Alves da Silva, que apitou o jogo do Leão contra o Jequié-BA, pela 5ª rodada do Campeonato Baiano.

De acordo com o que relatou Marielson na súmula, Fábio Mota o dirigiu as seguintes palavras após a derrota rubro-negra por 1 a 0: “Isso foi um absurdo o que vocês fizeram hoje, uma vergonha, foi um assalto à mão armada”. A partida foi disputada no dia 31 de janeiro.

A decisão desta quarta é de Roberto Almeida de Araújo, secretário do TJD-BA. Cabe recurso. Em contato com a Itatiaia, o Vitória informou que Fábio Mota já entrou com um pedido de efeito suspensivo da decisão. Por ora, quem fica no comando do clube é o vice-presidente Djalma Abreu.

À época do jogo, o gestor negou que tenha proferido tais palavras e prometeu entrar com uma ação judicial contra a pessoa física do árbitro. “Vou entrar com ação contra ele, pessoa física, por danos morais e materiais”, afirmou.

O Leão reclamava de dois lances específicos que ocorreram O primeiro foi um gol de Alerrandro anulado por impedimento de Caio Vinícius, que participou da jogada, aos 29 minutos.

De acordo com a imagem da transmissão da TVE, o volante rubro-negro estava atrás da linha do penúltimo defensor adversário. O tento daria o empate ao Vitória. O lateral-esquerdo PK foi expulso por reclamar da marcação.

O segundo lance alvo de reclamação é um suposto pênalti no atacante Zé Hugo. O jogador alega ter sido derrubado na área aos 5 minutos da etapa final, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

Três partidas depois, o Vitória ocupa a vice-liderança do Campeonato Baiano, com 16 pontos, e está praticamente garantido na semifinal da competição. O Rubro-Negro baiano volta a campo neste domingo (3), às 16h, para enfrentar o Itabuna, pela última rodada da fase de grupos.

Outros julgamentos

Também foram julgados nesta quarta o lateral-esquerdo PK e o preparador físico Diego Kami Mura. Este último também proferiu algumas palavras contra a arbitragem, ainda segundo a súmula.

“Isso foi vergonhoso, uma arbitragem tendenciosa, nem adianta falar nada, foi uma vergonha”, teria dito o preparador. A pena dele foi de suspensão de um jogo - como cumpriu a automática, poderá atuar no confronto diante do Itabuna. PK foi absolvido.

Leia também

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Nuno Krause é correspondente da Itatiaia na região Nordeste. Formado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), acumula passagens por Bahia Notícias, Jornal A TARDE e Rádio Salvador FM. Atua no jornalismo esportivo desde 2019.
Leia mais