Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Caio Ribeiro critica Ronaldo por trocas constantes de técnico no Cruzeiro

Cruzeiro está em busca do seu quarto técnico na temporada e a apenas seis rodadas do fim do Campeonato Brasileiro

Comentarista e apresentador do programa Boleiragem, do SporTV, o ex-jogador Caio Ribeiro criticou Ronaldo e a gestão da SAF do Cruzeiro pelas demissões de Pepa e Zé Ricardo ao longo deste Campeonato Brasileiro.

No último domingo (12), a gestão da Sociedade Anônima do Futebol decidiu demitir Zé Ricardo a apenas seis rodadas do fim do Campeonato Brasileiro. Com 37 pontos, o Cruzeiro é o 17º colocado e corre sério risco de rebaixamento à Série B.

Em agosto, a SAF de Ronaldo já havia demitido o português Pepa, que deixou o clube na 12ª posição.

Na visão de Caio, há um erro de avaliação do grupo de trabalho de Ronaldo ao culpar os técnicos pelo insucesso do Cruzeiro na Série A, quando o problema real está na baixa qualificação do elenco montado.

“Estão cometendo alguns erros que, por ser uma SAF, por ter o Ronaldo à frente do projeto e por tudo aquilo que ele representa como ex-jogador e jogador de futebol, não pode cometer um erro que é uma troca constante de treinador. O problema não está no comando, está na qualidade baixa do elenco”, definiu Caio Ribeiro.

Imediatamente, o comentário de Caio foi corroborado pelo outro apresentador, Roger Flores, jogador do Cruzeiro entre 2010 e 2012. “Não era para o Pepa sair também. Bem lembrado!”.

Alerta feito na janela do meio do ano

Caio Ribeiro foi além e disse que já alertava no meio do ano para a baixa qualidade técnica do time do Cruzeiro, principalmente do meio pra frente. No entendimento dele, houve negligência da diretoria ao não buscar reforços.

“Não é falar em cima de resultado, é alertar como nós fizemos antes da janela do meio do ano. Nós aqui falávamos: o Cruzeiro está muito tímido na contratação. Assim como fez o Vasco, como tentou fazer o Bahia e acho que não com muita qualidade, mas como fez o Botafogo lá atrás. O Coritiba mesmo foi muito mais agressivo no mercado que o Cruzeiro. Alguns deram certo, como o Slimani. Outros nem tanto. Mas a gente olhava para o time do Cruzeiro e dizia: precisa ter mais qualidade no setor de criação”, disse.

Para Caio, o insucesso do Cruzeiro no Mineirão este ano se deve muito à limitação da equipe ofensivamente. “Do meio pra frente, não marca (gol), não ganha em casa. Por quê? Porque quando pega adversários fechadinhos, tem dificuldade para criar, para ter oportunidade de gol. E aí faltou ousadia, de olhar o mercado e trazer caras diferentes. O Cruzeiro não trouxe e vai sofrer até o final”, decretou o comentarista e apresentador do Boleiragem.

Discurso diferente da prática

Com a demissão de Zé Ricardo, o Cruzeiro terá o seu quarto técnico efetivo nesta temporada. A diretoria estuda nomes para assumir a equipe nas seis partidas finais do Campeonato Brasileiro.

Os adversários na reta final da competição serão, pela ordem, Fortaleza (fora), Vasco (casa), Goiás (fora), Athletico-PR (casa), Botafogo (fora) e Palmeiras (casa).

Ao assumir o Cruzeiro, em dezembro de 2021, Ronaldo dizia que sua gestão mudaria o comportamento em relação às demissões de técnicos a cada insucesso.

“Há várias coisas que você pode pedir ao treinador. É uma busca complicada. No Brasil, do jeito que fazem, ninguém faz isso. Mandam embora um, outro, só vão trocando. Ninguém chega ali: ‘amigão, quero que meu time jogue assim, que a torcida fique feliz e se divirta’. Não tem”, comentou o Fenômeno no Flow Podcast.

Coordenador do esporte digital da Itatiaia. Construiu sua carreira no jornalismo esportivo digital. Grande experiência como repórter e editor-chefe. Passou por Superesportes, Estado de Minas, TV Alterosa, Veja BH, Canal 23 e colaborou com O Jogo (POR), Mundo Deportivo (ESP) e Levante EMV (ESP).
Túlio Kaizer é jornalista esportivo com grande experiência no digital. Foi setorista dos três grandes clubes do futebol mineiro: América, Atlético e Cruzeiro. Cobre também basquete, vôlei, esportes americanos, esportes olímpicos e e-sports.
Leia mais