Ouvindo...

Times

COB suspende Wallace por cinco anos e veta repasses à CBV

Conselho entende que Confederação Brasileira de Vôlei descumpriu ordem ao permitir que oposto defendesse o Cruzeiro na final da Superliga

O Conselho de Ética do Comitê Olímpico Brasileiro (CECOB) decidiu punir de forma pesada a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e Wallace pela participação do oposto na final da Superliga Masculina de Vôlei, vencida pelo Cruzeiro nesse domingo (30).

Agora, o campeão olímpico está suspenso por cinco anos, de acordo com a decisão publicada nesta terça-feira (2). O fim da punição inicial seria nesta quarta-feira (3). Se não houver nenhuma mudança, ele perde toda a próxima temporada.

A resolução do Cecob ainda determina que Wallace não pode defender a Seleção Brasileira pelo mesmo período. O oposto já havia anunciado aposentadoria da equipe nacional anteriormente.

Além do jogador, a CBV recebe severa punição. A entidade que rege o vôlei nacional se baseou em um entendimento da Câmara Brasileiro de Mediação e Arbitragem (CMBA), decisão na não é reconhecida pelo COB. Por isso, a CBV está suspensa do “sistema COB” por seis meses.

A decisão veta os repasses financeiros e também pede que o Ministério do Esporte e o Banco do Brasil, principal patrocinador, não façam os pagamentos à CBV.

iii) Oficiar ao Ministério dos Esportes comunicando a suspensão de todo e qualquer vínculo entre a CBV e o COB - e por via de consequência do movimento olímpico, por idêntico prazo, para fins de cancelamento de todo e qualquer financiamento ou ajuda material à referida Confederação que tenha por pressuposto a sua vinculação ao Comitê Olímpico do Brasil e ao movimento olímpico. Tudo sem prejuízo de outras sanções que a senhora ministra entender cabíveis.

iv) Oficiar ao Banco do Brasil e demais entidades - públicas ou privadas - que tenham vínculo com a CBV comunicando a suspensão por 6 (seis) meses da Confederação Brasileira de Voleibol da sua relação com o COB e movimento olímpico para fins de cancelamento de todo relacionamento patrimonial ou não patrimonial que as entidades privadas possuam com a CBV e que tenha por pressuposto a participação da entidade no sistema Olímpico, cujo vínculo deixa de existir na presente data. Tudo sem prejuízo das demais medidas que quaisquer entidades desejem tomar.

Presidente em exercício da CBV, Radamés Lattari também foi punido e está suspenso por um ano de “todas as atividades esportivas vinculadas ao COB”.

Mesmo com a decisão da CBMA e liberação da CBV, o Cruzeiro decidiu não utilizar Wallace nas duas partidas da semifinal contra o São José. A Itatiaia apurou que o oposto também não seria utilizado contra o Minas, mas houve uma mudança de entendimento de última hora e ele foi relacionado.

Mesmo como reserva, o campeão olímpico marcou o ponto do título para a equipe celeste contra o Minas.

Hugo Lobão é repórter multimídia do portal Itatiaia Esporte. É formado em Jornalismo pela PUC Minas. Antes da Itatiaia, passou por Hoje Em Dia, Record e Globo Esporte. Amante de esportes olímpicos.
Leia mais