Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Alec Baldwin é indiciado novamente por homicídio culposo em set de filmagens

Disparo feito pelo ator atingiu e matou a cineasta e jornalista ucraniana Halyna Hutchins; promotoria vê uso negligente da arma de fogo

Alec Baldwin no set de 'Rust'

Alec Baldwin no set de ‘Rust’

Reprodução | Redes sociais

O ator americano Alec Baldwin foi indiciado novamente, nesta sexta-feira (19), por homicídio culposo pelo disparo fatal ocorrido em um set de filmagens em 2021. O tiro atingiu e matou a cineasta e jornalista ucraniana Halyna Hutchins.

Baldwin, de 65 anos, já havia enfrentado uma batalha legal pela morte da diretora de fotografia, Halyna Hutchins, que faleceu enquanto gravava cenas do filme “Rust” no estado do Novo México, nos Estados Unidos.

Mas a promotoria retirou as acusações em abril, argumentando que haviam surgido “novos fatos que exigem mais investigação e análise forense”.

De acordo com a acusação formalizada nesta sexta-feira, um grande júri concluiu que há “causa provável” contra Baldwin, seja pelo uso negligente de uma arma de fogo ou por falta de precaução.

“Esperamos ansiosamente nosso dia no tribunal”, reagiram os advogados do ator, Luke Nikas e Alex Spiro, em comunicado enviado à AFP.

Baldwin, protagonista e produtor do filme de faroeste, segurava uma arma Colt .45 em um ensaio, em 21 de outubro de 2021, quando um tiro matou Hutchins e feriu o diretor Joel Souza.

A estrela de Hollywood se declarou inocente das acusações no ano passado e afirmou em entrevistas que não chegou a apertar o gatilho.

Porém, especialistas forenses contratados pela promotoria chegaram à conclusão de que Baldwin teve que exercer certa pressão sobre o gatilho para que a arma disparasse.

Leia Também

Até 18 meses de prisão

Se for considerado culpado, Baldwin pode receber uma pena de até 18 meses de prisão.

A armeira do filme, Hannah Gutierrez-Reed, também foi acusada de homicídio culposo e manipulação de provas pela morte de Hutchins, e seu julgamento está marcado para começar em fevereiro.

Segundo as investigações, a Gutierrez-Reed, responsável pelas armas, teria colocado uma bala real na pistola que Baldwin deveria manipular, quando deveria conter apenas munição de festim.

Não foi explicado como balas reais chegaram ao set de filmagem.

O primeiro assistente de direção, David Halls, que entregou a arma nas mãos de Baldwin no dia da tragédia, não foi alvo de acusações criminais e foi sentenciado a seis meses de liberdade condicional em março de 2023.

A morte de Hutchins chocou Hollywood, remeteu a tragédias no passado e gerou apelos para proibir armas de fogo nos locais de gravações.

O caso também desencadeou uma série de ações legais contra Baldwin e os produtores do filme.

“Aguardamos ansiosamente pelo julgamento que determinará se ele deve ser acusado pela morte de Halyna”, disse nesta sexta Gloria Allred, que representa os pais e a irmã de Hutchins em um processo civil contra o ator de “30 Rock”.

Matthew Hutchins, viúvo da diretora de fotografia, também havia iniciado uma ação contra Baldwin, mas chegou a um acordo em 2022 e tornou-se produtor executivo de “Rust”, que concluiu as filmagens no ano passado em Montana.

(Com informações de AFP)

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

A Rádio de Minas. Tudo sobre o futebol mineiro, política, economia e informações de todo o Estado. A Itatiaia dá notícia de tudo.
Leia mais