Ouvindo...

Times

Ex-marido de Ana Hickmann agradece cordialidade da apresentadora em novo vídeo

Empresário fez nova aparição nesta terça-feira (28)

Alexandre Correa fez uma nova aparição nas redes sociais nesta terça-feira (28). O ex-marido de Ana Hickmann agradeceu a “cordialidade” da apresentadora após ela deixá-lo ver o filho - carinhosamente chamado de Alezinho - por videochamada. Vale lembrar que Ana entrou com pedido de divórcio por meio da Lei Maria da Penha na semana passada para agilizar os trâmites do processo.

“Dia de felicidade. Protocolamos ontem o pedido para organizar junto aos advogados da Ana e da própria Ana para poder ver o Alezinho. Estou com a expectativa muito grande do juiz dar esse despacho logo. Estou há 17 dias sem vê-lo”, inicia o empresário.

“Nos últimos dois, três dias, a Ana foi muito cordial, me colocou para falar com ele através de videochamada e a gente mata um pouquinho da saudade. Mas, a minha prioridade não é voltar à empresa, é ver o meu filho, abraçá-lo, jogar basquete com ele, beijá-lo, amassá-lo, fazer tudo que der de direito e tempo. Tá bom gente? Fica aí meu recado para que as coisas não fiquem distorcidas. Beijo grande e vamos ficar felizes”, finaliza.

Ana detalha agressões

Ana Hickmann esteve em uma delegacia de Itu, no interior de São Paulo, no dia 11 de novembro, onde registrou boletim de ocorrência contra Alexandre Correa por violência doméstica e lesão corporal. Durante o “Domingo Espetacular”, a apresentadora deu detalhes sobre a agressão que sofreu naquele dia.

Segundo Ana, a confusão começou após ela explicar ao filho que muitas “mudanças” podem ocorrer na vida dele com relação a “algumas coisas que ele está acostumado” - se referindo às dívidas. Em certo momento, a briga intensificou e ela pediu que a funcionária que estava na casa levasse o pequeno para o anexo que tem no imóvel.

“Eu comecei a gritar pedindo socorro. Eu gritava ‘socorro, chama a polícia. É 190'. Eu consegui me desvencilhar dele e fui para a cozinha. Fiquei com muito medo. A minha cozinha tem uma porta de correr e a gente começou a brigar. Ele tentando segurar a porta aberta e eu tentando fechar. Quando ele viu que não ia conseguir deixar a porta aberta, ele pega e a bate com toda a força na mão que eu estava segurando o celular”, recorda.

“Ele veio sim para me dar uma cabeçada. Ele jogou o corpo para me dar uma cabeçada, e só não me acertou porque eu me esquivei. E, no que me esquivei, fui buscar meu celular que estava perto da churrasqueira e falei ‘se você vier para cima de mim eu vou chamar a polícia’. Falei isso, uma, duas, três vezes... ", continua.

Ela acrescenta: “A adrenalina estava tão forte que eu não sentir dor. Os meus cachorros estavam atrás de mim. A Fanny e o Joaquim. Eles estavam latindo muito por conta da briga. Toda vez que o Alexandre gritava os cachorros ficavam muito alterados dentro de casa e eu gritei ‘pega’. O Joaquim pegou. Ele voou para cima dele e eu consegui fechar a porta e travar as janelas também. Só não consegui fechar a janela que ficava em cima da pia.”

“Nesse momento, quando me sentei, já não mexia mais no meu braço, estava bem inchado, não conseguia mais ter movimento. Coloquei o celular em cima da mesa e ele foi em direção a cozinha e gritou para eu largar o celular [...] Liguei 190. Foram três toques e a policial atendeu do outro lado. Ainda bem que existe o 190, porque se eu não tivesse ligado ele tinha passado por aquela janela e eu não sei o que poderia ter acontecido. O Alexandre ficou muito alterado”, destaca.

Pedido de divórcio

Na quarta-feira passada, Ana entrou com pedido de divórcio pela lei Maria da Penha para que o processo de separação seja feito o mais rápido o possível. “A Lei está para nos proteger, ela foi criada por causa de uma mulher que foi vítima de violência e tantas outras, eu cansei de dar isso todos os dias dentro do ‘Hoje em Dia’. A lei está cada vez mais forte, ela me protegeu sim”, inicia.

Sobre o processo movido em cima da lei, ela explica: “Muito mais rápido porque fica muito claro que aquele relacionamento não pode existir, porque se não a gente tem que provar que aquele relacionamento pode ser tentado.”

A apresentadora conta que optou por se cercar de “segurança emocional, jurídica e física” antes de falar sobre ocorrido. “Eu ainda vou contar um outro final dessa história”, finaliza.

O que diz Alexandre?

Em nota enviada ao dominical, Alexandre Correa declarou que “não possui arma de fogo e que não agrediu a apresentadora em 25 anos de relacionamento”. O documento acrescenta, ainda, que “sua inocência será comprada no final do processo” e que o filho deles é a “verdadeira e única vítima desse episódio conjugal.”

Além disso, ele encaminhou uma certidão de antecedentes criminal para comprovar que não tem passagens pela polícia.

Patrícia Marques é jornalista e especialista em publicidade e marketing. Já atuou com cobertura de reality shows no ‘NaTelinha’ e na agência de notícias da Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt). Atualmente, cobre a editoria de entretenimento na Itatiaia.
Leia mais