Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Luan Santana sobre Ana Castela: ‘tem que deixar ela amadurecer musicalmente’

Cantor relembrou o início de carreira e a trajetória na música durante passagem rápida por Belo Horizonte, para divulgar o projeto Luan City 2.0

Luan Santana esteve em Belo Horizonte, nessa quinta-feira (9), para divulgar a gravação do projeto Luan City 2.0. O cantor comentou as dificuldades que enfrentou no início da carreira, há quase 16 anos, e falou sobre novos expoentes da música sertaneja, citando a cantora Ana Castela.

“Você já deve ter ouvido algumas histórias que eu conto, das pessoas realmente não acreditarem num moleque jovem fazendo música sertaneja, com um estilo todo moderno de se vestir, num mercado que era muito tradicional”, comentou Luan durante a coletiva. “Na época as pessoas tinham a cabeça muito fechada, mas hoje você vê sertanejo misturando com tudo, todos os estilos, todos tipos de artista”, completou.

“O sertanejo sempre foi um estilo tradicional, então eu enfrentei muita dificuldade. Mesmo assim, eu fiquei muito feliz quando tudo aconteceu comigo e eu vi artistas seguindo esse caminho, abrindo uma nova vertente, uma nova possibilidade de pessoas se destacarem, né? Pessoas muito talentosas, artistas solos muito talentosos”, declarou o cantor que se apresenta no estádio Mineirão em 18 de março.

Questionado sobre as críticas que a cantora Ana Castela recebe por misturar o sertanejo com outros ritmos, Luan se declarou fã da artista.

A primeira vez que eu ouvi ela foi em uma van nossa, lá em São Paulo. Eu abri o YouTube e começou a passar um vídeo antigo dela, era um clipe bem simples gravado lá em Londrina. Comentei com a Isa, minha mulher, e falei ‘essa menina tem um trem’.

“Eu acredito muito na carreira dela. Eu acho que tudo está acontecendo de uma forma muito natural na vida dela. Ela está gravando o que ela gosta. A gente tem que deixar ela amadurecer musicalmente, sabe?”, destacou sobre a intérprete de ‘Boiadeira’. “Eu acho que não precisa dar ouvido para esse povo que fica falando o que você pode e não pode gravar. Cada grava e escuta o que quer. Ela já vai entender o que é bom e o que não é, e foi isso que aconteceu comigo. Tem que respeitar a evolução artística e musical”.

Na capital mineira para divulgar o novo projeto Luan City 2.0, com conceitos futuristas, Luan Santana relembrou a trajetória de outros grandes nomes da música.

É muito gostoso poder acompanhar a carreira de um grande nome. Você pega um Michael Jackson, um Elvis, são carreiras cheia de curvas, inseguranças e críticas. Eu também vivi isso. É muito rica uma carreira assim.

O cantor que se apresenta em Belo Horizonte para a gravação do novo disco e DVD também recordou o próprio início na música. “Vocês me conheceram com 17 anos, cantando ‘Meteoro’, com cabelo arrepiado, pulando pra caramba. Hoje, talvez seja um Luan totalmente diferente que vai subir nesse palco em BH. Eu acho que ela vai cada vez mais estar se encontrando e é muito gostoso acompanhar a evolução desses artistas”, disse Luan.

Maria Clara Lacerda é jornalista formada pela PUC Minas e apaixonada por contar histórias. Na Rádio de Minas desde 2021, é repórter de entretenimento, com foco em cultura pop e gastronomia.


Leia mais