Ouvindo...

Times

Litoral paulista teve maior volume de chuva registrado no Brasil

Número de mortos chega a 40 e 40 estão desaparecidos

A enxurrada que atingiu os municípios do litoral norte de São Paulo no fim de semana é considerada uma das maiores tragédias da história do Estado, segundo o governo. Com 40 mortes confirmadas, o temporal foi também o maior acumulado de chuva de que se tem registro no país, com 682 mm e um rastro incalculável de destruição. Ainda há 40 pessoas desaparecidas, com mais de 1.730 desalojados e 766 desabrigados.

Dos mortos, 39 foram em São Sebastião e um em Ubatuba. Equipes do município com psicólogas e assistentes sociais fazem um trabalho de acolhimento dos familiares das vítimas. Sete corpos foram identificados e liberados para o sepultamento. São dois homens adultos, duas mulheres adultas e três crianças.

Identificação

A Polícia Técnico Científica avança no trabalho de identificação dos mortos em decorrência do temporal, em especial nas cidades de São Sebastião e Ubatuba. As equipes do Instituto Médico Legal (IML) de Caraguatatuba e do Serviço de Verificação de Óbito (SVO) de Ubatuba foram reforçadas na manhã de segunda-feira (20), com a chegada de 40 profissionais, entre médicos legistas, peritos e assistentes, e mais 12 papiloscopistas do Instituto de Identificação da Polícia Civil.

Acumulado de chuva

O acumulado de chuva nas cidades do litoral norte paulista superou o da cidade fluminense de Petrópolis, em 2022, na região serrana do Rio de Janeiro, que teve 530 mm em 24 horas. Antes, o maior índice havia sido registrado em Florianópolis (SC), em 1991, com acumulado de 400 mm em apenas um dia.

O município de São Sebastião foi um dos mais afetados, com deslizamentos de encostas, alagamentos e bairros isolados devido à interdição de vias de acesso. O número de mortos já supera a tragédia de Franco da Rocha, em 2022, no deslizamento que matou 18 pessoas. O acumulado de chuva à época foi de 70 mm em 24 horas.

Na história de São Paulo, a maior tragédia ocorreu em 18 de março de 1967 no município de Caraguatatuba, quando as fortes chuvas causaram o desmoronamento de encostas e centenas de casas foram soterradas. Segundo a contagem feita na época, 487 pessoas morreram, mas estima-se que o número de óbitos tenha sido muito maior.

O temporal registrado no litoral norte neste fim de semana, segundo o Centro Nacional de Previsão de Monitoramento de Desastres (Cemaden), resultou no acumulado de 682 mm em Bertioga, 626 mm em São Sebastião, 337 mm em Ilhabela, 335 mm em Ubatuba e 234 mm em Caraguatatuba.

Vistoria

O governador Tarcísio de Freitas visitou, na tarde de segunda-feira, trechos da rodovia Rio-Santos que estão total ou parcialmente interditados em razão dos deslizamentos. A região que vai da Barra do Sahy até Boiçucanga, em São Sebastião, está ilhada pelas interdições. Esse trecho da rodovia engloba, além de Barra do Sahy e Boiçucanga, as praias da Baleia e de Camburi, e está interditado em razão de queda de barreiras.

Estradas

Neste momento, várias rodovias administradas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) estão com pontos de interdição total ou parcial. A rodovia Dr. Manoel Hyppólito Rego (SP-055) está totalmente fechada, por queda de barreiras, nos quilômetros 157 a 162 e no quilômetro 174. Além disso, a mesma rodovia está parcialmente interditada, em razão de queda de barreiras e árvores, nos quilômetros 61, 66, 84, 87, 95, 136 e 142.

Mogi-Bertioga

A rodovia Mogi-Bertioga (SP-098) está interditada por rompimento de tubulação na altura do quilômetro 82, em Biritiba Mirim. Também há interdição parcial nos quilômetros 90 e 91, em razão de queda de barreira, e no quilômetro 87 por erosão. Uma equipe do DER esteve no local e avalia as obras emergenciais que serão necessárias para recuperar a via.

Caso necessário o deslocamento, os motoristas devem usar como rotas alternativas as rodovias do Sistema Imigrantes/Anchieta (SP-160 e SP-150). Uma queda de barreira no km 174+500 da SP-055, na Praia do Juquehy, impede acesso a rota alternativa pela Rodovia dos Tamoios para quem está entre Bertioga e Juquehy.

Equipes do Instituto de Pesquisas Ambientais (IPA) prestam apoio na região. Grupos de trabalho estão nos municípios de São Sebastião e Caraguatatuba para auxiliar no socorro às vítimas.

Rodovias concessionadas

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) informa que não há interdição nas rodovias estaduais concedidas. O tráfego está normal nas principais rodovias que dão acesso ao interior paulista. Para quem segue no sentido do litoral, há pontos de congestionamento em razão de neblina.

A rodovia dos Tamoios também apresenta tráfego normal, sem congestionamentos. O mesmo ocorre na Castelo Branco-Raposo Tavares, no Sistema Anhanguera-Bandeirantes e na rodovia Ayrton Senna-Carvalho Pinto.

Exército

O Exército Brasileiro reforçou o efetivo destacado para as ações de resgate e salvamento no litoral norte do Estado de São Paulo. Na tarde desta segunda-feira, 30 viaturas com 380 militares, oriundos da Brigada Aeromóvel, de Caçapava, chegaram para apoiar as tropas em atuação no local.

As atividades de busca, atendimento e remoção das vítimas seguem ininterruptamente desde a madrugada de domingo (19). Mais de 600 pessoas, entre servidores das forças de segurança e resgate do Governo do Estado de São Paulo, das Forças Armadas, da Polícia Federal, da prefeitura municipal de São Sebastião e voluntários, realizam os trabalhos. A prioridade segue no socorro às vítimas e no atendimento aos mais de 1.730 desalojados e 766 desabrigados em todo Estado.

Atendimento

A Secretaria de Estado da Saúde informa que 18 adultos e cinco crianças vítimas das chuvas foram atendidos até o momento no Hospital Regional do Litoral Norte. Desse total, seis estão em estado grave e 13 estáveis. Outros dois pacientes já receberam alta hospitalar e outras duas mulheres, uma grávida e uma puérpera, foram transferidas para o Hospital Stella Maris.

Água

Os técnicos da Sabesp trabalham para restabelecer os sistemas de abastecimento de água na região atingida pelos temporais. Em São Sebastião e Ilhabela, 39 caminhões-pipa da companhia realizam o abastecimento emergencial até a regularização total dos sistemas.

A produção de água em Maresias foi retomada e mais de 8 mil imóveis já estão com o abastecimento em recuperação (Maresias e Barra do Una). Em Caraguatatuba e Ubatuba, os sistemas de abastecimento continuam em processo de recuperação.

Ajuda humanitária

O Fundo Social de São Paulo (Fussp) recebe doações para as vítimas das chuvas do litoral norte paulista. As principais necessidades, segundo a Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, são alimentos não perecíveis, água mineral e roupas limpas em bom estado. As entregas podem ser feitas no depósito do Fussp, na avenida Marechal Mario Guedes, 301, no Jaguaré, zona oeste da capital paulista.

O fundo tem duas contas bancárias para os interessados em fazer depósitos, transferência ou Pix para auxiliar as famílias desalojadas ou desabrigadas. Com o valor arrecadado, o Fussp vai comprar cestas básicas e cobertores para atender às vítimas. Todos os produtos serão encaminhados à Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, que será responsável pela distribuição às famílias.

A Agência Brasil, fonte oficial de notícias do Governo Federal, oferece acesso gratuito e imediato às últimas informações sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo.
Leia mais