Ouvindo...

Times

Carol Gattaz no Mundial? Central do Gerdau Minas atualiza torcedores sobre lesão no joelho

Atleta rompeu o ligamento do joelho direito em março deste ano, contra o Sesc Flamengo, pela Superliga Feminina

Após nove meses de recuperação, Carol Gattaz anunciou por meio das redes sociais que está liberada pelo departamento médico do Gerdau Minas. Nesta quarta-feira (6), a central relembrou as 36 semanas que passou afastada das quadras em decorrência do rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho direito sofrido em 18 de março de 2023. No texto, a atleta agradece aos profissionais que acompanharam o tratamento e ressalta que ainda precisará de tempo para retomar o ritmo de jogo.

“Hoje comemoro essa liberação como um renascimento. Mais um na minha vida. Já passei alguns e sigo mais forte para tantos outros que passarei. Apenas pelo fato de voltar para as quadras, estar com o grupo ,entre as 14 ali no banco já será minha primeira grande vitória. Sei que ainda levará um tempo grande para voltar ao ritmo normal de jogo. Meses ainda. Mas voltar a estar junto com o grupo, depois de uma recuperação que superou todas as nossas expectativas, me deixa arrepiada”, escreveu a jogadora.

Com a liberação, Nicola Negro poderá contar com a central para a continuidade da temporada. Além de disputar a Superliga, Gattaz deverá embarcar com o elenco do Minas para Hangzhou, na China, para a disputa do Mundial de Clubes. A estreia será na próxima quarta-feira (13), às 8h30 (de Brasília), contra o Tianjin.

Na competição nacional, o Gerdau Minas receberá o Sesi Bauru, nesta quinta-feira (7), às 21h (de Brasília), na Arena UniBH, em Belo Horizonte.

Ainda em outubro, a Itatiaia acompanhou parte de uma das sessões de saltos e ataques da atleta. Sob supervisão da fisioterapeuta Bruna Melato, a experiente jogadora trabalhou ao lado das novas levantadoras do time comandado por Nicola Negro: a norte-americana Jenna Gray e a brasileira Fran Tomazoni. Com expectadoras de luxo, como Thaisa e Nyeme, Carol Gattaz treinou todas as bolas que costuma fazer nos jogos, inclusive a famosa “china”. Cada bola bem atacada pela central gerava reações e elogios da companheiras.

Graduada em Jornalismo pela PUC Minas e repórter do portal Itatiaia Esporte. Cobre outras modalidades, especialmente vôlei.
Leia mais