Ouvindo...

Times

Vôlei Masculino: veja em qual posição do ranking o Brasil ficou após a Liga das Nações

A posição no ranking pode ser decisiva para a divisão de grupos e confrontos em competições da FIVB

A Seleção Brasileira de Vôlei Masculino manteve a quarta posição no ranking mesmo com a eliminação para a Polônia nas quartas de final da Liga das Nações de Vôlei. Entretanto, a diferença entre os brasileiros e os outros três colocados aumentou. Para os poloneses, líderes do ranking, são mais de 60 pontos de distância.

A principal mudança foi a queda dos franceses, atuais campeões olímpicos, para a sexta posição. O Japão, medalhista de prata na Liga das Nações, assumiu a quinta colocação.

A posição no ranking pode ser decisiva para a divisão de grupos e confrontos em competições da Federação Internacional de Voleibol (FIVB), inclusive a Olimpíada de Paris, em 2024.

Como funciona o ranking:

Desde 2019, a Federação Internacional de Voleibol (FIVB) utiliza um novo método para ranquear as seleções. Para realizar o cálculo, a FIVB leva em consideração o resultado de cada jogo, a comparação das probabilidades com o placar final e o peso de cada campeonato.

Para o ranqueamento, valem todos os jogos de competições reconhecidas pela FIVB com no mínimo quatro seleções.

Além disso, a Federação leva em conta a performance de cada seleção na partida. Antes de cada jogo, a pontuação dos times no ranking é comparada, de forma que o que tem mais pontos é considerado o mais forte e mais provável de performar melhor.

Baseado na pontuação e no histórico de cada time, a FIVB calcula as probabilidades para os seis placares possíveis (3x0, 3x1, 3x2, 2x3, 1x3 e 0x3) e depois compara com o resultado final da partida. Se o time performa melhor do que o esperado, ele soma pontos, enquanto o time que foi abaixo da expectativa perde a mesma quantidade. Quanto mais perto os resultados chegarem da probabilidade, menor é a quantidade de pontos alterada no ranking. Quanto mais longe, mais pontos.

Como último critério, a FIVB criou um sistema de ‘pesos’ para cada campeonato. A exemplo disso, as partidas das Olimpíadas tem o peso maior, seguidas dos jogos do Campeonato Mundial e da Liga das Nações.

Confira o top-20

  • Polônia - 407.74

  • Estados Unidos - 375.29

  • Itália - 359.02

  • Brasil - 345.73

  • Japão - 327.95

  • França - 322.58

  • Argentina - 304.96

  • Eslovênia - 284.58

  • Sérvia - 259.40

  • Irã - 241.05

  • Países Baixos - 232.96

  • Turquia - 203.16

  • Ucrânia - 196.28

  • Cuba - 194.59

  • Alemanha - 181.97

  • Canadá - 180.20

  • México - 178.68

  • Tunísia - 172.48

  • Egito - 156.90

  • República Tcheca - 153.81

Graduada em Jornalismo pela PUC Minas e repórter do portal Itatiaia Esporte. Cobre outras modalidades, especialmente vôlei.
Leia mais