Ouvindo...

Times

Tiago Leifert se desculpa após declaração sobre morte de torcedora do Palmeiras

Jornalista se desculpou após declaração sobre o falecimento de uma torcedora do Palmeiras, no último sábado (8), em confronto contra o Flamengo

Tiago Leifert, jornalista e comentarista, se desculpou após declaração sobre o falecimento de uma torcedora do Palmeiras, no último sábado (8), quando ocorreu um confronto contra a torcida do Flamengo, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro.

Durante o 3 na Área, programa em que participa ao lado de Fui Clear, no Youtube, Tiago afirmou que a torcida do Palmeiras teria iniciado o confronto com os rivais, que a vítima era da Mancha Verde e estava envolvida na confusão.

Após o comentário, Leifert utilizou de suas redes sociais para publicar um vídeo como forma de retratação. “Antes que tome uma proporção maior que merece eu quero pedir desculpas por um erro que cometi hoje no 3 na área, um erro de informação”, defendeu.

“Um erro baseado nos relatos de quem estava ali, de Polícia Militar e imprensa e que agora de tarde, horas depois, a gente sabe com mais detalhes o que aconteceu”, explicou.

O jornalista relembrou a declaração realizada na manhã desta segunda-feira (10) e se retratou após ter acesso ao Boletim de Ocorrência do caso.

“Eu tinha dito que a torcedora que faleceu, que foi assassinada na verdade, é o termo correto, que ela estava no confronto do portão A, que aconteceu durante o jogo. A gente teve acesso ao BO (boletim de ocorrência), li o BO agora a pouco e ela estava próxima ao portão D, portão visitante”, afirmou.

“Voou uma garrafa na direção da torcida organizada do Palmeiras, atingiu ela no pescoço. Peço desculpas. Ela não estava no confronto do (portão) A. O confronto foi durante o jogo, foi feio, mas ela já tinha sido atingida. Foi atingida antes do início do jogo no portão D, então peço desculpas”, completou.

Apesar da retratação nas redes sociais, Tiago Leifert prosseguiu em sua declaração criticando as torcidas organizadas e a violência presente nos estádios. “A gente precisa conversar sobre organizada, sobre o que está acontecendo nos estádios. Isso não gera comoção”.

“Eu não estava espalhando fake news, era uma informação errada, vocês me desculpem, não é fake news não. Ela era de uma organizada, a menina que faleceu. Não muda o fato, não muda a tragédia que é e mesmo que ela tivesse provocando, batendo tambor, cantando, não muda nada. Veio uma garrafa do outro lado e matou ela”, concluiu.

Entenda o caso

Gabriela Anelli, de 23 anos, estava internada na Santa Casa, em São Paulo, após ser socorrida em meio à briga de torcidas do Flamengo e Palmeiras. A jovem sofreu duas paradas cardíacas após ser atingida por uma garrafa na região do pescoço, segundo informações dos familiares.

“Obrigado a todos que oraram pela minha irmã. Mas ela foi morar com o papai do céu. Tem coisas que acontecem que estão além do nosso limite do entendimento. Sei o quanto você lutou cada segundo e você de fato sempre foi uma guerreira. Olhe por nós do céu e proteja nossa família”, postou Felipe Marchiano, irmão de Gabriela, na manhã desta segunda (10).

A jovem estava na fila do Allianz Parque para entrar no estádio quando uma briga entre torcedores organizados de Palmeiras e Flamengo começou.

“A dor da família é imensurável. Não dá para acreditar em tanta maldade nesse mundo e a Justiça tão falha nesse Brasil. Nossa família não merece passar por esse luto”, postou nas redes sociais uma prima de Gabriela.

Jornalista em formação na UFMG. Apaixonado por futebol e esportes em geral.
Leia mais