Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Mundial de Atletismo: Caio Bonfim começa com bronze na marcha atlética

Caio esteve no grupo da frente em toda a prova e mostrou muita maturidade ao ser mais conservador no final dos 20 km, depois de tomar duas advertências

Depois de um atraso de duas horas, provocado por uma tempestade, a prova dos 20 km marcha atlética abriu o Campeonato Mundial de Budapeste de Atletismo com festa brasileira. Caio Bonfim, o principal marchador da história do País, conquistou a medalha de bronze, com o tempo de 1:17:47, novo recorde brasileiro. O anterior era do próprio Caio, com 1:18:19, obtido em La Coruña, na Espanha, no dia 3 de junho de 2023.

Esta é a segunda medalha de bronze do brasileiro – a primeira foi conquistada no Mundial de Londres-2017. Caio esteve no grupo da frente em toda a prova e mostrou muita maturidade ao ser mais conservador no final dos 20 km, depois de tomar duas advertências. Mais uma e ele seria punido e perderia o pódio.

“Mais uma medalha para o Brasil. Deus quis me dar o bronze e estou muito feliz. Não quis arriscar no final e decidi não disputar com o sueco. O Brasil começou com o pé direito no Mundial”, disse Caio.

“Então eu vou torcer para todos os outros brasileiros que vão competir fazerem o seu melhor. Fica minha torcida. Foi o meu sétimo mundial e minha segunda medalha”, prosseguiu o atleta. Agora o Brasil tem 16 medalhas na história da competição. “O Brasil começou esse Mundial com o pé direito. Pé quente, graças a Deus”, acrescentou.

Caio fez uma excelente temporada até agora. Aos 32 anos, o brasiliense quebrou pela segunda vez o recorde brasileiro. “Fiz boas competições, como na vitória em La Coruña, e isso me deu mais confiança. Eu tinha de fazer a minha melhor marca, neste palco, no Mundial”, comentou o marchador, que ficou a 26 segundos do recorde sul-americano, que pertence ao fenômeno equatoriano Jefferson Peréz, desde 23 de agosto de 2003.

Mesmo com as dificuldades causadas pela chuva – o circuito montado em torno da Praça dos Heróis ficou cheio de poças de água – a prova foi muito rápida. O espanhol Álvaro Martin ganhou a medalha de ouro, com 1:17:32, o melhor tempo de 2023. O sueco Perseus Karlstrom levou a prata, com 1:17:39 (recorde do país). O japonês Koki Ikeda, que liderou boa parte da prova, terminou em 15º lugar, com 1:19:44. O outro brasileiro da competição, Max Gonçalves dos Santos, completou em 36º, com 1:24:10, recorde pessoal.

*Com Agências

A Rádio de Minas. Tudo sobre o futebol mineiro, política, economia e informações de todo o Estado. A Itatiaia dá notícia de tudo.
Leia mais