Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Marcelo Paz diz que Fortaleza foi enganado por jogadores: ‘Deram a palavra’

CEO da SAF citou os volantes Felipinho e Bruno Gomes, que preferiram fechar com outras equipes; clube tem sido criticado pelos torcedores

Marcelo paz, CEO da SAF do Fortaleza, criticou nesta segunda-feira (19) jogadores que, segundo ele, enganaram o Fortaleza. Ele citou negociações com os volantes Bruno Gomes, ex-Coritiba, e Felipinho, ex-Ponte Preta, que teriam apalavrado com o Leão, mas depois recuaram e fecharam com outros clubes.

“Bruno Gomes e Felipinho estavam apalavrados com o Fortaleza. Discutiram salário, contrato, comissão, tudo referente a uma negociação. Deram a palavra através de seus representantes, e depois mudaram o destino. Aqui [no Fortaleza], a palavra é honrada” disse Paz.

Bruno Gomes passou janeiro na Seleção Sub-23 disputando o Pré-Olímpico na Venezuela. Quando retornou, recebeu uma ligação de Eduardo Coudet, técnico do Inter, e decidiu retornar ao Colorado, clube que defendeu em 2022. O Coxa já havia fechado com o Fortaleza, inclusive recebido atletas, e avisou que não liberaria Bruno. No fim o Inter deve ceder um jogador por empréstimo ao Fortaleza.

Já Felipinho foi anunciado como reforço do Athletico-PR. Segundo Paz, o jogador havia ligado chorando ao executivo de futebol do Fortaleza, Bruno Costa, pedindo para ir jogar no Leão antes de fechar com o Furacão por uma proposta maior.

“Ah, o Fortaleza foi enganado? Sim. Mas eu prefiro ser o enganado que o enganador. Os jogadores deram a palavra e depois mudaram o destino. Não me importo que o jogador negocia com dois, três clubes, mas deram a palavra, tem que cumprir”, disse Marcelo Paz.

Outro jogador que estava encaminhado pelo Fortaleza, e acabou parando em outro clube foi o zagueiro argentino Barboza, ex-Libertad do Paraguai. Ele fechou com o Botafogo e não foi citado por Paz na entrevista.

A cúpula de futebol do Fortaleza tem sido criticada nas redes sociais pela perda desses jogadores, em negociações que haviam vazado para a imprensa. Por isso a decisão de Paz de se pronunciar a respeito.

“Desculpe a expressão que vou usar, mas estamos vivendo em um mercado prostituído no futebol. Tem clube brasileiro que muito em breve vai quebrar, e não vou fazer isso no Fortaleza. Clube em crescimento tem que ter disciplina e equilíbrio”, disse Paz.

Caio Alexandre

Outro jogador que foi polêmica nesta janela de transferências de início de 2024 foi o volante Caio Alexandre. Ele deixou o Fortaleza, apesar de ter sido comprado do Vancouver Whitecaps FC, dos Estados Unidos, e fechou com o Bahia. Segundo Paz, o jogador achou que o Leão dificultou uma ida dele ao Palmeiras.

“Caio tinha uma opção de compra e nós seguimos todos os passos. Em setembro, o Palmeiras manifestou interesse em comprar o Caio. O salário que ele teria lá seria bem alto. Fui negociar com o Palmeiras pessoalmente, colocamos os números e o Palmeiras não fez proposta. O Caio criou essa expectativa e achou que o Fortaleza dificultou a saída dele, e não quis mais jogar aqui”.

Paz disse que o valor total que ficou para o Fortaleza pela negociação foi de US$ 800 mil (R$ 4 milhões), já tirando a diferença que foi paga ao Vancouver na opção de compra do volante.

Leia também

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais