Ouvindo...

Times

Fortaleza perde da LDU nos pênaltis na final da Copa Sul-Americana

Após empate por 1 a 1 em 120 minutos, João Ricardo pega dois pênaltis, mas time perde três em jogo disputado no Uruguai

O Fortaleza perdeu para a LDU, do Equador, nos pênaltis por 4 a 3, após 1 a 1 em 120 minutos neste sábado (28), na final da Copa Sul-Americana. O goleiro João Ricardo chegou a fazer duas defesas, mas Silvio Romero, Pedro Augusto e Brítez erraram para os brasileiros.

O jogo foi disputado no estádio Domingo Burgueño, na cidade de Maldonado, na região turística de Punta del Este, no litoral do Uruguai. Cerca de 7 mil torcedores do Fortaleza acompanharam in loco o confronto, número superior ao dos equatorianos.

O gol do Fortaleza foi marcado em uma jogada de dois dos argentinos do elenco: Pochettino recebeu na esquerda, avançou para a linha de fundo e cruzou rasteiro na primeira trave, para conclusão certeira de Lucero. Foi o 22º gol do centroavante no ano, artilheiro do Fortaleza.

Isso foi aos 2 minutos, só que oito depois Alzugaray ganhou no corpo de Bruno Pacheco, avançou pela esquerda, invadiu a área e bateu forte, com efeito, sem chance para João Ricardo no empate. A bola até furou a rede. O jogo acabou em igualdade e foi para a prorrogação e, depois, para os pênaltis.

Primeiro tempo travado, segundo com gols

O Fortaleza teve um começo de jogo com mais posse de bola, não sentindo a pressão de disputar o jogo mais importante de sua história.

Marinho, jogador que rivais da defesa da LDU disseram conhecer antes da partida, perdeu a melhor chance da etapa, ao tentar driblar duas vezes, dentro da área, e perder a bola.

O jogo foi tenso, com cartões amarelos após divididas um pouco mais duras. João Ricardo e Domínguez pouco trabalharam.

No segundo tempo, saíram os gols, de Lucero e de Alzugaray, que levaram a decisão para a prorrogação. A LDU conseguiu evitar preocupação ao empatar pouco tempo depois do time brasileiro abrir o placar.

Mas a etapa teve mais chances, com os goleiros trabalhando mais. Na reta final, porém, os adversários pareciam mais satisfeitos em levar a partida para os 30 minutos adicionais.

No pênaltis, João Ricardo pegou duas cobranças, e o Fortaleza ficou a um gol do título, mas Pedro Augusto errou. Nas alternadas, Piovi marcou, mas o zagueiro argentino Brítez chutou e o goleiro Dominguez defendeu sua terceira cobrança, já havia defendido também de Silvio Romero.

Estádio lotado

O Domingo Burgueño tem capacidade para 25 mil pessoas, e foram disponibilizados cerca de 21 mil ingressos. A final teve o estádio lotado, que foi o objetivo da Conmebol ao levar a partida para um campo mais acanhado.

Inicialmente, o confronto estava marcado para Montevidéu, ou no estádio Centenário (para 55 mil pessoas) ou no Parque Central (para 40 mil), mas a Conmebol temeu que se repetisse o filme de finais anteriores da Copa Sul-Americana, com estádios de maior capacidade vazios.

Premiação

A LDU levou uma bolada ao receber 5 milhões de dólares (quase R$ 25 milhões) pelo título, mais 3 milhões de dólares (quase R$ 15 milhões) por garantir vaga na fase de grupos da próxima Libertadores.

O total recebido, ao somar todas as fases da Copa Sul-Americana, foi de cerca de R$ 56 milhões.

Fortaleza 1 (3) x 1 (4) LDU-EQU

Fortaleza

João Ricardo; Tinga, Brítez, Titi e Bruno Pacheco; Caio Alexandre (Lucas Sasha), Zé Welison (Pedro Augusto) e Pochettino (Thiago Galhardo); Marinho (Machuca), Lucero (Silvio Romero) e Guilherme (Yago Pikachu). Técnico: Juan Pablo Vojvoda

LDU

Domínguez, Quinteros, Ade, Rodríguez e Quiñónez (Ramirez); Martínez, Piovi, González (Alvarado) e Jhojan Jullio; Ibarra (Alzugaray) e Paolo Guerrero. Técnico: Luís Zubeldia

Gols
Lucero (2min2ºT) para o Fortaleza
Alzugaray (10min2ºT) para a LDU

Pênaltis
Thiago Galhardo, Yago Pikachu, Tinga (Fortaleza)
Alzugaray, Martinez, Jhojan Jullio, Piovi (LDU)

Cartões Amarelos
Caio Alexandre, Guilherme, Marinho, Brítez (Fortaleza); Guerrero, Piovi (LDU)

Motivo: final da Copa Sul-Americana
Data e horário: 28 de outubro de 2023 (sábado), às 17h (de Brasília)
Local: Estádio Domingo Burgueño, em Maldonado (Uruguai)

Árbitro: Jesus Valenzuela (Venezuela)
Auxiliares: Jorge Urruego e Tulio Moreno (ambos da Venezuela)
Árbitro de vídeo: Jorge Baliño (Argentina)

Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais