Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Artilheiro da Libertadores, Cano está pronto para ser campeão pelo Fluminense

Com 12 gols marcados na competição, camisa 14 é favorito para se tornar o Rei da América, em caso de eventual taça tricolor

Principal jogador do Fluminense e artilheiro da Copa Libertadores com 12 gols, Cano se diz pronto para ser campeão do maior título da história Tricolor. No sábado (4), às 17h (de Brasília), o Flu encara o Boca Juniors-ARG, no Maracanã, na decisão continental, no jogo que pode ser o mais importante do centenário clube carioca.

E Cano está preparado para entrar para a história. Nesta quarta-feira (1), o jogador concedeu entrevista coletiva no CT Carlos Castilho, como compromisso da Conmebol, e falou da expectativa para a inédita taça.

"É um momento histórico que estou vivendo. Quando cheguei aqui era difícil poder alcançar tudo que construímos juntos. Nós tínhamos muitas dificuldades com muitas coisas. Poder chegar a uma final de Libertadores sendo o artilheiro da competição representa muito. É um time que trabalha, se apóia a cada jogador como a um irmão e é uma família verdadeira. Quando estamos em campo nos matamos e entregamos tudo pelo companheiro. Não sabia que chegaríamos na final, mas pouco a pouco, quando foram passando as rodadas fomos nos preparando. Seria lindo poder conquistar essa taça que todos os torcedores querem e eu também. A gente construiu uma família”, comentou.

Com a eventual taça, dificilmente Cano não ficará com o troféu de Rei da América. Mas para ele, caso isso aconteça, o prêmio seria merecido por todos os jogadores que defendem o Flu.

“Acho que tenho que estar dentro de campo e poder jogar essa final o mais concentrado possível sabendo que não vai ser nada fácil. Tanto Boca quanto Fluminense querem ganhar essa Libertadores. Temos que tomar muito cuidado com tudo isso. São 90 minutos muito intensos. Todo mundo merece (ser rei da América) o time fez um trabalho muito bom para chegar nessa final. A gente merece por todo o trabalho desse ano”, disse.

Jogo especial contra o Boca Juniors

Argentino e de família torcedora do River Plate-ARG, maior rival do Boca, Germán Cano destacou como será especial enfrentar o tradicional clube de seu país na grande decisão. Diante do River, ele já tinha feito um hat-trick, na vitória por 5 a 1, no Maracanã, pela fase de grupos desta edição da Libertadores.

“Poder jogar contra uma equipe argentina é especial. Sabemos que o Boca é um rival com muita história e tradição na Argentina e o que representa para o mundo inteiro. Vai ser um jogo muito lindo e poder desfrutar deste encontro. Estamos muito preparados para desfrutar”, afirmou.

Cano ainda garantiu que não tem pressão da família torcedora do River para ele marcar na decisão diante do arquirrival. Mas isso não signifca que o artilheiro não quer deixar sua marca e disparar cada vez mais na ponta da tabela de goleadores da Libertadores.

“Não teve nenhuma brincadeira com eles. Não me pediram nada, não teve problema. Sei que cada familiar meu sente nesse momento. Uma parte vai estar no Maracanã e outra me apoiando da Argentina. Quero fazer minha parte”, contou.

Planejamento para a decisão

Logicamente, estar em uma decisão de Copa Libertadores, que pode consagrar o maior título do Fluminense em toda sua história requer atenção especial. E na entrevista, Cano contou como está a cabeça do elenco para o confronto com o Boca.

“Estamos fazendo tudo que fazemos diariamente em casa. Tenho minha filha de dois meses e meio. Estamos com muita tranquilidade para chegar ao máximo e bem para essa final. Estamos desfrutando desse momento porque não sabemos quando vai ser novamente”, falou.

E a fórmula para vencer a final? É a de sempre. Seguir trabalhando como Fernando Diniz pede. O estilo de jogo do Fluminense pode ser um diferencial na grande decisão.

“Acho que é continuar fazendo o que Fernando pede. Sempre jogamos do mesmo jeito e nessa final não vamos trocar. Sabemos como joga o Fluminense, que se impõe e vai buscar o gol o tempo todo. Nossa característica de jogo não vai mudar. Vamos jogar em casa. A partida vai estar nos detalhes de cada jogador, cada equipe e temos que tomar cuidado com isso”, finalizou.

Jornalista esportivo desde 2006 e com passagens por Lance!, Extra e assessorias de marketing esportivo. É correspondente da Itatiaia no Rio de Janeiro. Tem pós-graduação em Jornalismo Esportivo e formação em Análise de Desempenho voltado para mercado.
Leia mais