Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

D’Alessandro revela bastidores de briga no vestiário do Cruzeiro

Agora ex-dirigente do clube, D’Alessandro relembrou episódio após vitória do América sobre o Cruzeiro, no Campeonato Mineiro

D'Alessandro, ex-jogador e ex-dirigente do Cruzeiro

D’Alessandro deixou o Cruzeiro após nove meses de trabalho na Toca II

Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Andrés D’Alessandro deixou o Cruzeiro após o término do Campeonato Brasileiro deste ano. O argentino alegou distância da família para se desligar do clube, e teve o aval do departamento de futebol celeste para retornar a Porto Alegre. Antes de voltar ao Sul do Brasil, o agora ex-coordenador de futebol cruzeirense revelou os bastidores de uma briga, ocorrida no vestiário, em jogo do Campeonato Mineiro.

O Cruzeiro perdeu por 2 a 0 para o América, na Arena do Jacaré, no dia 11 de março, na partida de ida das semifinais do Campeonato Mineiro. O resultado eliminou o time celeste da competição. Na saída de campo após o apito final, uma discussão acalorada chamou a atenção em Sete Lagoas.

“Foi muito engraçado, e eu mal tinha chegado ao clube. Fomos para a semifinal do Mineiro, e aí teve essa situação do vestiário, que teve que intervir o treinador. E falei: estão me contratando para isso, não posso escolher momento”, disse D’Alessandro, em entrevista à TV Globo.

Depois do jogo, o repórter do “Seu Nome, Seu Bairro”, Thiago Reis, relatou na Jornada Esportiva da Itatiaia o clima no vestiário cruzeirense.

“Ih, rapaz! Ih, rapaz! Está tendo briga no vestiário do Cruzeiro. Estão saindo na porrada no vestiário do Cruzeiro, quem é eu não sei. Seguranças correram aqui, os seguranças saíram correndo aqui. Olha, impressionante. Não identifiquei quem, uma gritaria tremenda, os seguranças precisaram correr para o vestiário. O pau tá cantando no vestiário do Cruzeiro”, relatou o repórter Thiago Reis.

D’Alessandro tinha acabado de chegar ao Cruzeiro. A partida na Arena do Jacaré era a primeira acompanhada pelo então coordenador de futebol diretamente do estádio. E o argentino foi contratado justamente para isso, ser uma ponte entre jogadores, treinadores e diretoria.

No jogo de volta, o Cruzeiro voltou a perder para o América, por 2 a 0, no Independência, e acabou ficando fora da final do Campeonato Mineiro.

“Acho que foi uma intervenção natural, que pensei que tinha fazer. Teve várias assim, porque é meu trabalho, mas sempre não passando do limite, sempre não passando do time, sem passar por cima do treinador, do capitão. É uma série de coisas que a gente tem que saber. As vezes dá para falar, às vezes não dá. Têm momentos. Isso foi aprendizado também”, contou o ex-jogador.

O último compromisso de D’Alessandro como funcionário do Cruzeiro foi no empate em 1 a 1 com o Palmeiras, no Mineirão, no dia 6 de dezembro, na última rodada do Campeonato Brasileiro. O argentino admitiu que seguirá no futebol, mas não definiu ainda o seu futuro.

O ex-jogador tinha proposta para ser dirigente do Internacional, mas o candidato que o havia convidado acabou derrotado.

Alessandro Barcellos foi reeleito, nesse sábado (9), para mais um mandato como presidente do Internacional. Ele venceu o oposicionista Roberto Melo e seguirá no comando do Colorado até o fim de 2026.

Melo é que havia chamado D’Alessandro para compor sua diretoria caso fosse o vencedor.

Guilherme Piu é jornalista esportivo com experiência multiplataforma: digital, revista, rádio e TV. Tem dois livros publicados e foi premiado em festivais de cinema no Brasil e no exterior, dentre eles o Cinefoot. Cobriu grandes eventos, como Copa do Mundo, Olimpíada, Copa América e torneios de futebol. Passou por Hoje em Dia, Uol e Revista Placar.
Leia mais