Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

CBF rejeita pedido dos clubes, e Brasileirão não vai parar durante a Copa América

Times devem perder jogadores convocados para o torneio de Seleções por até nove rodadas da Série A entre junho e julho de 2024

A direção da CBF rejeitou o pedido de nove clubes da Série A do Campeonato Brasileiro para que a competição parasse durante a Copa América. O torneio de Seleções ocorrerá entre 20 de junho e 14 de julho, nos Estados Unidos, e os jogadores convocados desfalcarão seus clubes por pelo menos nove rodadas.

Siga o canal Itatiaia Esporte no Whatsapp e receba as principais notícias do dia no seu celular.

Athletico, Atlético, Botafogo, Bragantino, Flamengo, Fluminense, Palmeiras, São Paulo e Vasco assinaram o ofício, enviado à diretoria de competições da confederação brasileira em 15 de fevereiro.

Entre os motivos listados, em nota, sobre o motivo da negativa, a CBF diz que afetaria os contratos de direitos de transmissão e com patrocinadores, já que a Série A ficaria quase um mês parada. Além disso apertaria o calendário dificultando cumprimento de regras trabalhistas de atletas, como férias, além de desnivelar tecnicamente a Copa do Brasil, que teria suas fases finais muito espaçadas.

No plano apresentado pelos clubes, as fases de oitavas de final e quartas de final da Copa do Brasil seriam adiantadas, para o período da Copa América, enquanto os jogos da final marcados para o início de novembro seriam empurrados para meados de dezembro, quando os atletas já deveriam estar de férias.

Segundo a CBF, poderia haver problema também se um time brasileiro ganhar a Libertadores e estiver na final da Copa do Brasil, já que terá que disputar o novo Intercontinental de clubes lançado pela Fifa. O campeão sul-americano, a partir de agora, terá até três jogos, e não mais dois, e coincidiria com a final da Copa do Brasil se a data fosse estendida para o meio de dezembro.

Segundo a tabela básica da Série A divulgada nesta quinta-feira (29) pela CBF, o período de disputa da Copa América coincide com as rodadas 12 a 18, sete portanto. Mas boa parte dos jogadores chamados se apresenta antes disso às suas Seleções, como determina a Fifa, o que deve acarretar um total de nove rodadas como desfalque.

Veja na íntegra a nota da CBF:

“A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em resposta ao ofício enviado em 15 de fevereiro por clubes da Série A, solicitando alteração do Calendário Nacional do Futebol Masculino de 2024, em função da 48ª edição da Copa América de Seleções, vem a público prestar os esclarecimentos necessários.

A entidade agradece e considera essencial este diálogo amplo e permanente entre Clubes, Federações e CBF para melhoria e desenvolvimento do Calendário e de todo o Futebol Brasileiro e suas competições. A elaboração do calendário brasileiro de competições é de extrema complexidade, precisando ser adequado e harmonizado com os calendários divulgados pela FIFA e CONMEBOL, e, também, por exigências específicas da legislação brasileira (Lei Pelé e Lei Geral do Esporte).

Ao receber a proposta e em respeito aos envolvidos, a CBF imediatamente acionou diferentes áreas internas da entidade para a realização de estudos e simulações, o que demanda tempo. Também consultou os parceiros comerciais envolvidos na competição, entre eles a principal empresa detentora dos direitos de transmissão da Série A da Copa do Brasil.

O calendário para as competições de futebol masculino de 2024 foi divulgado em outubro de 2023, há quatro meses, e conseguiu-se, pelo segundo ano consecutivo, evitar conflitos com datas FIFA, honrando assim o compromisso com seus filiados e clubes.

Assim, em resposta ao pleito de parte dos Clubes da Série A, destacamos os seguintes pontos:

-Não foi considerado pelos clubes a alteração do modelo de disputa da Fifa Intercontinental Cup (Mundial de Clubes). Os times da América do Sul, para chegarem à final, terão que disputar três partidas, diferente dos anos anteriores. Caso o vencedor da Copa Libertadores seja uma equipe brasileira, o que ocorreu nas últimas cinco edições, e se o clube for também finalista da Copa do Brasil 2024, a proposta apresentada não seria viável;

-A Copa do Brasil 2024, teria um intervalo de 4 (quatro) meses entre as quartas de final e as semifinais, o que gera profunda perda de interesse dos espectadores, desvalorizando a competição e podendo causar prejuízos aos clubes, patrocinadores e detentores de direitos;

-Haveria prejuízos à dinâmica das competições na medida em que acarretaria um intervalo de praticamente um mês entre rodadas da Série A do Campeonato Brasileiro;

-A CBF teve todo o cuidado de consultar a principal empresa detentora dos direitos de transmissão da Série A e da Copa do Brasil. Infelizmente, mudança pretendida afeta diretamente o cumprimento dos contratos, bem como dos contratos celebrados com os patrocinadores que fizeram todo o planejamento com base nas datas previamente divulgadas pela CBF;

-A proposta de alteração do calendário de 2024 foi enviada após o início de diversos campeonatos estaduais e regionais e às vésperas do início da 1ª fase da Copa do Brasil, o que poderia gerar ajustes desiguais e que não envolveriam a integralidade do calendário do futebol nacional e todas as suas competições;

-A alteração geraria o prolongamento da temporada para 2 (dois) clubes, impactando em datas definidas de férias dos atletas e comissão técnica, o que poderia acarretar graves problemas envolvendo direitos trabalhistas, e geraria impactos para o Calendário de 2025;

-Na proposta apresentada, as fases de oitavas e quartas de final ocorreriam exatamente durante a Copa América 2024, ficando os clubes igualmente desfalcados, mas em campeonato de fases eliminatórias e com alta premiação financeira;

Diante destas e de outras razões expostas na íntegra do ofício anexo, a CBF informa que não é possível acolher o pedido de alteração do calendário de 2024. Porém, permanece aberta ao diálogo, como sempre aconteceu, para debater de forma ampla com Federações, Clubes, parceiros e atletas a melhoria das competições e do calendário nacional.”

Leia também

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais