Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

D’Alessandro dispara sobre dívida do Inter: ‘Não honram o acordo’

Na chegada ao Beira-Rio, o dirigente do Cruzeiro desabafou sobre a relação distante com o presidente Alessandro Barcellos; Colorado deve cerca de R$ 6 milhões ao ex-capitão

Na chegada ao Beira-Rio, em Porto Alegre, com a delegação do Cruzeiro, para o jogo diante do Inter, pela 13ª rodada do Brasileirão, D’Alessandro falou pela primeira vez dos valores que o clube gaúcho deve a ele. O coordenador de futebol do Cruzeiro afirmou que a dívida existe há quase sete anos e está com cinco parcelas de atraso.

O débito do Colorado com o argentino gira em torno dos R$ 6 milhões. D’Ale revelou que a atual direção, de Alessandro Barcellos, não vem honrando os pagamentos.

“Tem uma dívida. Na minha volta ao clube, vocês já sabem, com um salário que para o futebol é pouco. Aceitei todas as condições do clube, me adaptei as situações e dificuldades que o Inter me apresentou em janeiro de 2022, quando voltei do Nacional. O que eu queria era me aposentar no Inter”, contou o dirigente da Raposa.

O ex-meia despediu-se do futebol no Inter, em 17 de abril de 2022. Após 14 anos de relação com o Colorado, com duas idas e vindas, Andrés Nicolás D’Alessandro deixou os gramados do Beira-Rio na vitória de 2 a 1 sobre o Fortaleza, pelo Brasileirão de 2022.

Na primeira vez como adversário do Inter, D’Alessandro não poupou críticas à atual direção, do presidente Alessandro Barcellos. O ídolo colorado afirmou que até o momento não tinha tomado medidas mais “drásticas” para receber os valores, mas que não elimina a possibilidade.

“Nunca procurei uma decisão forte contra o clube, porque isso que me diz o meu coração. Até agora não tem solução que a gente procurou, que buscamos. O acordo foi tudo o que queríamos eu aceitei, multa, valor, tempo, parcelas. Aceitei tudo, e não está sendo cumprido. Não descarto nenhuma possiblidade, opção que apareça, para que possa receber”, desabafou.

Segundo o ex-jogador, a dívida, que existe há quase sete anos, foi em parte resolvida pelos presidentes anteriores, como Giovanni Luigi e Marcelo Medeiros, que buscaram soluções para os débitos. Porém, com Alessandro Barcellos, D’Ale afirmou que não tem caminho aberto para a conversa.

“Sinto que o tratamento não é recíproco, o tratamento que dei para essa diretoria, o que eu dei para o clube muitos anos. Essa dívida veio de anos atrás, Giovanni, Marcelo Medeiros, mas sempre foi honrada. Nunca esteve em dia, mas teve o esforço para pagar. Diálogo, hoje não tem, tem pouca coisa, não tem acordo, não tem tratamento. Acho que entreguei muitos anos aqui no clube, então a possibilidade de tomar uma decisão muito forte apareça”, revelou o argentino.

D’Alessandro ainda contou que pode, hoje, falar sobre o assunto pois não é mais atleta. Na condição de dirigente de Cruzeiro, muita coisa mudou na vida do argentino, seja o padrão ou a rotina. Atualmente em Belo Horizonte, vive distante da família, que mora em Porto Alegre, e este fator o faz colocar a questão da dívida na balança.

“O diálogo foi muito próximo, isso que me deixa chateado, das pessoas se omitirem, não honrarem sua palavra. O que mais me dói é o tratamento, a distância que se impõe hoje. Não só não honrando o acordo, mas sou uma pessoa que trabalhou muito tempo ao clube, e que em algum momento voltarei. Tenho meus filhos na arquibancada. É uma coisa que é o meu direito, e vou fazer valer”, finalizou D’Ale.

O ídolo colorado disputou 529 jogos com a camisa do clube gaúcho, marca que o tornou o segundo atleta no ranking de partidas pelo Inter. O camisa 10n marcou 97 gols e deu 113 assistências, e conquistou 12 títulos, entre eles a Sulamericana de 2008 e Bi da Libertadores em 2010.

Gaúcha de Porto Alegre, Mauri Dorneles é formada em Jornalismo pela PUC-RS e trabalha como correspondente do portal Itatiaia Esporte no Sul do Brasil. Também cursou Cinema. Antes da Itatiaia, passou por Correio do Povo, Record RS, Rádio Grenal, RBS TV e Band.
Leia mais