Ouvindo...

Times

MEC define o Barreiro como local para construção de novo Instituto Federal, diz deputado Rogério Correia

Parlamentar afirmou que demandas por mão de obra na região e proximidade com Contagem e Betim foram fatores analisados na escola do local para a instalação de novo Instituto Federal

Belo Horizonte terá um Campus do Instituto Federal de Minas Gerais, o IFMG, e será no Barreiro. A confirmação do local, anunciada pelo deputado federal Rogério Correia (PT), que faz parte da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, aconteceu nesta quinta-feira (17), durante visita à capital mineira.

Acompanhado de representantes do Ministério da Educação e de integrantes do Movimento pelo IFMG no Barreiro, eles estiveram em dois locais sugeridos pela prefeitura: o antigo Clube dos Engenheiros da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) e um terreno em frente ao restaurante popular. Para Rogério Correia, a região é a melhor opção.

“Estive no MEC, com o secretário responsável pelos Institutos Federais, e eles já bateram o martelo: querem o instituto no Barreiro. É, de fato, a área que tem melhores condições de receber esse instituto. Uma área que tem muitas indústrias, muita prestação de serviço, tem proximidade com Betim e Contagem, regiões industriais. A Prefeitura de BH tinha oferecido uma área no Buritis, uma área boa, mas o bairro está muito adensado e os alunos não têm a mesma necessidade que têm aqui no Barreiro”, explicou Rogério.

O movimento de moradores pela instalação do IFMG no barreiro é uma questão antiga. Para eles, o ideal é o Clube dos Engenheiros, que fica bem próximo da Via do Minério.

Sobre informações de que lá seria uma área de inundação, por causa de um córrego que passa dentro do terreno, eles afirmam que isso nunca aconteceu. Conforme detalha o morador José Márcio Silveira: “Há 10 anos que estou nessa luta, com lideranças da região. Moro há 50 anos aqui e essa argumentação de que a área alaga é mentira”, conta.

Para Glênio Martins, também morador do Barreiro, levar o Instituto Federal pra lá é uma reparação histórica. “O que se viu é que a região ficou completamente esquecida diante da modernização de outras regiões. O Barreiro, essa potência que é, foi ficando para trás”, afirma.

O Ministério da Educação não quis dar uma data certa para o início das aulas, mas não descarta a possibilidade de janeiro de 2025. Pelo menos é o que espera a pró-reitora de administração e planejamento do IFMG, Fernanda Honorato. Quando a unidade estiver em pleno funcionamento, a expectativa é receber 1.400 pessoas, entre alunos e corpo técnico. Quanto mais cedo o local for definido, mais rápido as aulas começam.

“A previsão é que a gente instale um campos, com 70 docentes e 45 técnicos administrativos, o que comporta 1,4 mil alunos. Janeiro de 2025 é apertado se eu parto de uma terra nua, se parto de um local que preciso só reformar, eu tenho esperança que sim”, conta Fernanda.

A expansão do IFMG faz parte da estratégia do Ministério da Educação, que quer construir mais de cem novas unidades em todo país até o final de 2026. Aqui no estado, está prevista a construção de oito novas instituições, incluindo a de BH. As outras unidades ficam nas cidades de Bom Despacho; Caratinga; João Monlevade; Itajubá; Minas Novas; São João Nepomuceno e Sete Lagoas.

Em nota, a prefeitura de Belo Horizonte afirma que mantém diálogo com o governo federal para a instalação de 2 Campi do Instituto Federal na capital e que na próxima semana está agendada nova reunião para tratar dos possíveis locais.

Leia também


Participe dos canais da Itatiaia:

Jornalista graduada pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2005. Atua como repórter de cidades na Rádio Itatiaia desde 2022
Leia mais