Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Embaixador de Israel quer ‘condenação’ do Brasil ao Irã e se diz desapontado com Itamaraty

Daniel Zonshine criticou termos de nota do governo brasileiro, que não tem repúdio expresso a ataque aéreo perpetrado por Teerã

O embaixador de Israel no Brasil, Daniel Zonshine, expressou, neste domingo (14), “desapontamento” com a ausência de condenação expressa ao Irã na nota emitida pelo Itamaraty a respeito do ataque do Irã ao país vizinho. Nesse sábado (13), Teerã disparou mais de 200 mísseis e drones

“Infelizmente, não ouvimos nenhuma condenação (ao Irã) nessa mensagem do Itamaraty. Isso é uma coisa um pouco desapontadora”, disse Zonshine, que está em Israel, à GloboNews.

O diplomata apontou, ainda, relação do Irã com outros grupos que têm travado embates contra Israel.

Leia também

“A palavra que falta, na minha opinião, é a condenação deste ataque do Irã contra Israel. O Irã atacou o território de um país soberano. É a primeira vez que faz isso diretamente. Não é o único envolvimento do Irã aqui, porque está apoiando o Hamas, o Hezbollah, a Jihad Islâmica, os Houthis no Iêmen e milícias no Iraque, que atacaram Israel nos últimos meses”, apontou.

“A expectativa é, pelo menos, ouvir qualquer condenação a isso, que aumentou o nível de envolvimento do Irã nesse conflito que Israel está envolvido no Oriente Médio”, completou.

O que diz o Itamaraty?

A nota emitida pelo governo federal conclama a comunidade internacional a unir esforços contra uma eventual escalada das tensões no Oriente Médio. A ausência de uma condenação expressa ao Irã, aliás, gerou críticas de parlamentares da oposição ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Desde o início do conflito em curso na Faixa de Gaza, o Governo brasileiro vem alertando sobre o potencial destrutivo do alastramento das hostilidades à Cisjordânia e para outros países, como Líbano, Síria, Iêmen e, agora, o Irã. O Brasil apela a todas as partes envolvidas que exerçam máxima contenção e conclama a comunidade internacional a mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada”, lê-se no texto.

No documento, o Itamaraty diz acompanhar “com grave preocupação” os desdobramentos do caso.

Mais cedo, à CNN Brasil, o embaixador brasileiro no Irã, Eduardo Gradilone, disse que Teerã deposita fichas em uma pressão dos Estados Unidos da América (EUA) para evitar represálias israelenses.

O ataque a Israel aconteceu a reboque de um bombardeio à representação diplomática do Irã em Damasco, na Síria, em 1° de abril. O governo iraniano acusa o país vizinho de cometer o atentado. Israel nega.


Participe dos canais da Itatiaia:

Graduado em Jornalismo, é repórter de Política na Itatiaia. Antes, foi repórter especial do Estado de Minas e participante do podcast de Política do Portal Uai. Tem passagem, também, pelo Superesportes.
Leia mais