Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Advogado de Bolsonaro critica posição do governo Lula sobre ataque do Irã a Israel

Fabio Wajngarten desaprovou posicionamento do Itamaraty, que não tem condenação expressa a movimento de Teerã

O advogado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), Fabio Wajngarten, criticou, neste domingo (14), a reação do governo federal ante o ataque do Irã a Israel nesse sábado (13). A nota do Itamaraty cita “grave preocupação” com o envio de drones e mísseis ao território israelense, mas não tem condenação expressa à ofensiva iraniana.

“Ao tomar o lado equivocado na ação do Grupo Terrorista Hamas em 7/10 e a não condenação nem repúdio do ataque da noite de ontem do Irã contra Israel, o Governo de esquerda que ocupa o Brasil nesse momento, encerra seu mandato e toda e qualquer chance de perpetuação e continuidade. Agora nos resta olhar com lupa cada ato, porque teremos apenas corrupção e tentativas de esconder o que já está escrito nos livros de história”, disse Wajngarten, na rede social “X”, anteriormente chamada de Twitter.

A equipe do ministro Mauro Vieira cita o alerta que o ataque iraniano levou a países vizinhos a Israel, como Jordânia e Síria. No texto, o governo brasileiro pede esforços internacionais contra uma possível escalada do conflito.

“Desde o início do conflito em curso na Faixa de Gaza, o Governo brasileiro vem alertando sobre o potencial destrutivo do alastramento das hostilidades à Cisjordânia e para outros países, como Líbano, Síria, Iêmen e, agora, o Irã. O Brasil apela a todas as partes envolvidas que exerçam máxima contenção e conclama a comunidade internacional a mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada”, lê-se em trecho do texto.

Os ataques do Irã a Israel neste fim de semana aconteceram em resposta de Teerã a um bombardeio ao consulado iraniano em Damasco, na Síria, ocorrido em 1º de abril. O ato foi atribuído às forças israelenses, que não confirmaram a autoria.

Leia também

Mais de 200 drones foram lançados em direção a Israel. Os artefatos levaram algumas horas até atingir os alvos.

Para minimizar os danos, as forças armadas israelenses utilizaram um sistema de defesa chamado “Domo de Ferro”, composto por mísseis antiaéreos que interceptam e neutralizam as ameaças inimigas.


Participe dos canais da Itatiaia:

Graduado em Jornalismo, é repórter de Política na Itatiaia. Antes, foi repórter especial do Estado de Minas e participante do podcast de Política do Portal Uai. Tem passagem, também, pelo Superesportes.
Leia mais