Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Governo repudia ataques racistas proferidos durante partida de futsal em escola no DF

Ministérios do Esporte e da Igualdade Racial se manifestaram após denúncias revelarem gritos de ‘macaco’ e ‘pobrinho’ nas arquibancadas de uma escola particular em Brasília

Os ministérios do Esporte e da Igualdade Racial se manifestaram neste sábado (13) em repúdio a ataques racistas que teriam sido proferidos por alunos de uma escola particular de Brasília contra adversários de um outro colégio durante uma partida de futsal realizada no último dia 3 de abril.

Em uma nota publicada neste sábado, a Escola Franciscana Nossa Senhora de Fátima, da rede privada de ensino, relatou que os estudantes da instituição foram chamados de ‘macaco’ ‘pobrinho’ e ‘filho de empregada’ durante uma partida de futsal disputada contra um time de alunos do Colégio Galois, também de Brasília.

Segundo a escola, apesar da presença de diversos responsáveis no local, nenhuma providência efetiva e adequada foi adotada pelos funcionários do Galois, que sediou o jogo.

Leia também

“Importante destacar que os alunos agressores encontravam-se, em sua maioria, uniformizados, ou seja, estavam sob guarda e responsabilidade do Colégio Galois que, neste caso, mostrou-se conivente com a situação humilhante e vexatória vivida pelos alunos da Escola Fátima”, frisou a nota.

O ministério do Esporte repudiou os atos. “Foi com indignação e tristeza que o Ministério do Esporte tomou conhecimento de atos de racismo ocorridos durante partida de futsal em uma escola do Distrito Federal. Relatos de insultos racistas direcionados a jovens atletas, com a utilização de termos discriminatórios, são profundamente perturbadores e contrários aos valores de igualdade, respeito e diversidade que defendemos”, diz o trecho do comunicado emitido neste sábado.

No mesmo caminho, o ministério da Igualdade Racial também se manifestou sobre o ocorrido e prestou apoio aos alunos ofendidos. “Toda nossa solidariedade aos jovens atletas e suas famílias, seguiremos firmes por um Brasil bom para todos. Nossa equipe continua a acompanhar este caso e seguiremos trabalhando por um país que valoriza atletas e estudantes e que promove a igualdade em todos os ambientes da vida”, disse.

Outro lado

Em resposta às acusações, o Colégio Galois emitiu um comunicado informando que vai iniciar uma investigação interna para apurar as circunstâncias do episódio. A escola também informou que vai aplicar medidas disciplinares aos envolvidos e negou que o comportamento dos alunos reflita os valores da instituição.


Participe dos canais da Itatiaia:

Repórter da Rádio Itatiaia em Brasília atuando na cobertura política dos Três Poderes. Mineiro formado pela PUC Minas Gerais, já teve passagens como repórter e apresentador pela Rádio BandNews FM, Jornal Metro e O Tempo. Vencedor do prêmio CDL de Jornalismo em 2021 e Amagis 2022 na categoria rádio.
Leia mais