Ouvindo...

Times

Afastamento cautelar ou expulsão de Bivar devem ser decididos até quarta-feira, dizem interlocutores

Executiva Nacional do União Brasil acatou representação contra presidente Luciano Bivar na última quarta-feira (13); membros do diretório devem decidir futuro do processo até o próximo dia 20

A Executiva Nacional do União Brasil deve se reunir novamente até quarta-feira (20) para decidir o futuro do processo instaurado contra o atual presidente Luciano Bivar (União Brasil-PE): se ele será imediatamente afastado cautelarmente ou expulso, ou se a representação seguirá trâmites mais lentos, sendo dirigida à análise do Conselho de Ética do partido. A perspectiva, segundo interlocutores da legenda, é que Bivar seja afastado nos próximos dias e sofra um processo administrativo nos dois meses que se seguirem. O substituto será um antigo aliado de Bivar, hoje rival, o atual vice-presidente Antonio de Rueda — eleito presidente na chapa que assumirá a chefia da sigla a partir de 31 de maio.

Na última quarta-feira (13), o diretório nacional do partido se reuniu na sede do União Brasil, em Brasília, e acatou uma representação contra Bivar, dando início ao processo que pode levar à expulsão do deputado federal, que é um dos fundadores do partido. Participaram da reunião pelo menos 50 deputados, senadores e governadores do União Brasil; entre eles, lideranças importantes como o atual primeiro-secretário ACM Neto (BA), o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, e os senadores Davi Alcolumbre (AP) e Efraim Filho (PB).

Leia também

‘Desunião Brasil’

Um incêndio acentuou o racha no União Brasil na segunda-feira passada (10). As casas do presidente eleito Antonio de Rueda e da irmã dele e tesoureira do partido, Maria Emília de Rueda, amanheceram destruídas na terça-feira (11) após um incêndio tê-las atingido. Os imóveis estão localizados em um condomínio no litoral pernambucano, onde Luciano Bivar também construiu uma casa. Após o ocorrido, adversários de Bivar passaram a acusá-lo de ser o responsável pelo incêndio. Os advogados de Rueda pediram, inclusive, ao Supremo Tribunal Federal (STF) que investigue Bivar pelo ocorrido.

Bivar também é acusado pelos Rueda de ter feito ameaças de morte a Antonio e à filha dele em fevereiro, às vésperas da eleição que sacramentou a vitória da chapa Rueda.

Na terça-feira, os parlamentares que compõem a bancada do União na Câmara dos Deputados se reuniram por pouco mais de quatro horas e decidiram apresentar à Executiva Nacional uma representação pedindo a saída de Bivar. O processo instaurado pelo partido na quarta-feira partiu dessa representação. Nos bastidores, lideranças do União Brasil consideram insustentável e constrangedora a permanência de Bivar no partido.

Participe dos canais da Itatiaia:

Repórter de política em Brasília. Na Itatiaia desde 2021, foi chefe de reportagem do portal e produziu série especial sobre alimentação escolar financiada pela Jeduca. Antes, repórter de Cidades em O Tempo. Formada em jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais.
Leia mais