Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

PSD lança pré-candidatura à reeleição de Fuad e mira frente ampla do centro à esquerda

Evento contou com a presença do presidente nacional da legenda, Gilberto Kassab, e do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira

O Partido Social Democrático (PSD) lançou, nesta segunda-feira (26), a pré-candidatura à reeleição do prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman (PSD). Durante o evento, ocorrido na sede estadual da legenda, no centro belo-horizontino, lideranças pessedistas como o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, defenderam a construção de uma aliança de partidos em torno de Fuad — sobretudo do centro à esquerda.

O prefeito adotou tom parecido e disse que sua pré-campanha aceitará eventuais apoios externos. O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, também compareceu à atividade, assim como o deputado estadual Cássio Soares, presidente do PSD mineiro

“Conto com partidos aliados e setores da sociedade que apoiam nosso projeto. A política é a arte do diálogo e da conciliação”, disse Fuad

Sob os olhares de deputados do PSD e dirigentes do PV e do PCdoB, Silveira, um dos principais interlocutores de Lula em Minas, falou sobre a ideia de erguer o que chamou de “grande aliança”

“Temos, de agora até o período convencional, um grande desafio de construir uma grande aliança que possa ajudar BH a continuar no rumo certo, a crescer, a cuidar dos belo-horizontinos e a cuidar do restante de Minas Gerais”, afirmou, sem citar nominalmente as siglas que o PSD pretende atrair.

Sem recuo

Em entrevista coletiva, Gilberto Kassab, que atua como secretário de Estado de Governo em São Paulo, descartou a hipótese de o PSD abrir mão de uma chapa encabeçada por Fuad.

A possibilidade tem sido defendida por interlocutores do PT. Na avaliação deles, como os petistas vão apoiar a tentativa de Eduardo Paes se reeleger no Rio de Janeiro, os pessedistas deveriam caminhar com o deputado federal Rogério Correia em BH.

“Diante da manifestação do Fuad, que tem o nosso apoio e teve nosso incentivo (para tentar a reeleição) fica, de maneira muito respeitosa ao deputado, inviabilizada essa pretensão. Mas é um aliado muito importante que vai estar conosco no segundo turno – espero que isso aconteça porque é nossa intenção levar Fuad ao segundo turno”, explicou.

"É muito difícil, em uma cidade como BH quando o prefeito se dispõe a continuar e está fazendo um bom trabalho, que o partido abra uma conversa nesse sentido”, completou.

O PT de Rogério Correia, vale lembrar, compõe uma federação partidária ao lado de PCdoB e PV. Portanto, as três legendas caminham juntas em termos eleitorais.

Fuad, por sua vez, evitou cravar o apoio do grupo político do secretário da Casa Civil de Minas Gerais, Marcelo Aro, do PP. No ano passado, vereadores ligados a Aro embarcaram na base aliada à prefeitura, que passou a ter, no primeiro escalão, secretários ligados ao político do PP.

De acordo com Fuad, não há “compromisso eleitoral” com Aro.

“Vamos procurar todos aqueles que queiram apoiar a nossa campanha. Apoio a gente acolhe”, apontou.

Leia também

Pacheco envia vídeo

Chamado para uma agenda de última hora com Lula, o presidente do Congresso Nacional, o senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) não pôde comparecer ao evento de Fuad.

Ele, então, enviou um vídeo endossando a empreitada do correligionário.

“A unidade partidária em torno do nome de Fuad Noman é algo muito positivo e recomendável, considerando o perfil do Fuad: é alguém muito preparado e habilidoso”, assinalou, em gravação exibida aos presentes.

O ‘sinal’ de Lula

A fala de Alexandre Silveira sobre a formação de uma eventual aliança ro centro à esquerda vai ao encontro do que tem pregado o presidente Lula.

O que temos de trabalhar é sempre com a perspectiva de quem vamos enfrentar mais à direita, mais conservador, para que a gente possa não cometer o erro de entregar Belo Horizonte outra vez a uma pessoa extremamente de direita, um fascista. É isso que temos de pensar”, disse, à Itatiaia, no mês passado.

Nos bastidores, interlocutores acreditam que Lula será primordial na definição dos rumos do campo progressista em BH.

Além de Fuad e Rogério Correia, partidos do centro à esquerda já sinalizaram as pré-candidaturas de Ana Paula Siqueira e Paulo Lamac – ambos da Rede –, Bella Gonçalves (Psol), Duda Salabert (PDT) e Paulo Brant (PSB).

À direita, desponta Bruno Engler (PL). O campo tem, ainda, Lucas González (Novo) e pode contar com o senador Carlos Viana (Podemos).

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Graduado em Jornalismo, é repórter de Política na Itatiaia. Antes, foi repórter especial do Estado de Minas e participante do podcast de Política do Portal Uai. Tem passagem, também, pelo Superesportes.
Leia mais