Ouça a rádio

Compartilhe

Zema cobra posicionamento de prefeituras sobre Carnaval 2022: 'se omitir, neste momento, seria o menos adequado'

Após Kalil optar por não patrocinar o evento, Zema destaca que cenário favorável da pandemia permite a realização da folia

Itatiaia
Foto: Itatiaia

Com a possibilidade de realização do Carnaval 2022, o governador Romeu Zema (NOVO) destacou, em coletiva nesta terça-feira (23), que o papel do Estado nesta situação é apenas orientar os municípios quanto às medidas de segurança. Na ocasião, ele aproveitou para chamar à atenção de prefeituras que não se posicionam sobre o evento. A afirmação ocorre dias após o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), optar por não patrocinar o evento e nem investir em estruturas, como banheiro químico, por exemplo.  

Por outro lado, Zema ressaltou que o governo apoia a realização da folia visto que o cenário de vacinação no estado é positivo. 

O chefe do Executivo estadual explicou ainda que “o pior que uma prefeitura pode fazer é não interferir em nada”. “Quando nós temos qualquer evento maior é necessário com que cada prefeitura oriente, organize, apoie, não precisa patrocinar, mas se omitir neste momento seria o menos adequado a se fazer”. Na última sexta (19), Kalil afirmou que não iria “dar sopa para o azar” e nem “patrocinar” o evento na capital.  

Segundo Zema, no decorrer da pandemia protocolos para realização de eventos têm sido atualizados pelo Minas Consciente. “Lembrando que essa atualização é extremamente necessária. Hoje nós já temos 73% da população com a segunda dose aplicada e, até o Carnaval, é provável que esse número seja 90% ou até mais”, disse. 

Com as macrorregiões do estado há mais de dois meses na onda verde, Zema disse que o estado é favorável a realização do evento. “Carnaval significa várias coisas, significa renda para várias cidades, para muitas que tem o Carnaval forte, significa um evento cultural, e o estado vai fazer tudo que tiver ao alcance”. 

O Secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, ressaltou também que o papel do estado é “dar uma previsibilidade”. “Teremos cerca de 90% de toda a população vacinada com duas doses e boa parte da população já vai ter tomado o reforço que é cinco meses depois”.  

Para ele, o cenário para a realização do Carnaval é bastante positivo. “Nós teremos um cenário diferente de qualquer país do mundo, porque o Brasil é um país que tem grande adesão à vacina. Da população adulta, 94% tomaram pelo menos primeira dose”, afirma Baccheretti.  

Conforme o secretário, até o evento, o Estado terá o melhor momento de vacinação. “Hoje a incidência da doença é 25 casos para cada 100 mil. Na Alemanha mais de 400 para 100 mil. Então nós estamos hoje em um momento epidemiológico positivo. Vamos ver como no Carnaval estaremos”.  

Como ação preventiva, protocolos do Minas Consciente para realização de eventos foram novamente atualizados nessa segunda-feira (22). “Não adianta o setor público fechar os olhos, as festas estão acontecendo, o Carnaval vai ser organizado por seus organizadores locais e a gente tem que ajudar a orientar”.