Ouça a rádio

Compartilhe

Show de Gusttavo Lima com cachê de R$ 1,2 milhão é cancelado por prefeitura de cidade mineira com 17 mil habitantes

Além do artista, a dupla sertaneja Bruno e Marroni, que receberia R$ 520 mil, também não irá se apresentar em evento da cidade

Reprodução/Instagram
Foto: Reprodução/Instagram

Gusttavo Lima se apresentaria no dia 20 de junho

O show de Gusttavo Lima e Bruno e Marrone foi cancelado pela Prefeitura de Conceição do Mato Dentro. Os sertanejos se apresentariam, no próximo mês, na 30ª Cavalgada do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos e receberiam R$ 1,2 milhão e R$ 520 mil, respectivamente. O anúncio foi feito pelo prefeito da cidade, José Fernando Aparecido Oliveira (MDB), na noite desse sábado (28), que justificou a situação dizendo que a cidade não iria fazer parte de uma "guerra político partidária”. 

Nas redes sociais, o chefe do Executivo municipal lamentou o cancelamento. “Infelizmente, nós vamos ter que adiar a vinda do embaixador e do Bruno e Marrone por questões eleitorais que tentaram envolver Conceição do Mato Dentro, tentaram envolver nossa cidade, a minha honra pessoal e nós não vamos permitir que sejamos envolvidos em questões que não nos representam. Essa festa, representa, na verdade, a celebração do amor, sobretudo, do amor entre as pessoas, e não o ódio que estão tentando trazer para Conceição do Mato Dentro", disse.

A prefeitura justificou que os artistas virão para o município de pouco mais de 17 mil habitantes quando for possível. “As festividades da Cavalgada representam dentro do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos uma renovação de fé, esperança e amor. E com essa credibilidade o município recebeu diversos artistas renomados em edições anteriores, como Zezé di Camargo e Luciano, César Menotti e Fabiano, e, Maiara e Maraisa. Portanto, para preservar essa história e tradição, a administração optou por adiar a participação de Gusttavo Lima e Bruno e Marrone, que virão em uma próxima oportunidade”, destacou a nota que acompanha o vídeo do prefeito. 

No entanto, cantores como João Carreiro, Israel e Rodolffo, Simone e Simaria e Zé Vaqueiro seguem confirmados no evento. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Ze´ Fernando (@zefernandocmd)

Dinheiro público 

Os artistas sertanejos começaram a ser “fiscalizados” após Zé Neto, dupla de Cristiano, criticar a Lei Rouanet durante show custeado pela prefeitura de Sorriso (MT). Ou seja, o evento também foi feito com verba pública. 

"Nós somos artistas que não dependemos de Lei Rouanet. Nosso cachê quem paga é o povo. A gente não precisa fazer tatuagem no 'toba' para mostrar se a gente está bem ou mal", disse o artista no momento em que se apresentava no local no dia 13 de maio. 

A crítica sobre a tatuagem levantou a ira dos fãs de Anitta, que começaram a “investigar” o artista na internet. A dupla sertaneja recebeu R$ 400 mil para realizar o show na cidade. Com isso, o cachê de outros artistas também começou a ser levantado.