Notícias

Setembro Púrpura alerta para risco de cânceres ginecológicos 

Por Jacqueline Moura/Itatiaia, 24/09/2020 às 18:06
atualizado em: 24/09/2020 às 19:15

Texto:

O mês de setembro é colorido de várias cores para representar campanhas que promoção à saúde. Uma dessas campanhas é o Setembro Púrpura que tem como objetivo a conscientização e prevenção do câncer ginecológico e alertar a população feminina quanto à importância do diagnóstico precoce, esclarecer os fatores de risco e sintomas, e incentivar os cuidados constantes com a saúde.

De acordo com a oncologista da Oncomed Graziella Piló, o câncer ginecológico atinge o sistema reprodutor feminino. “Temos desde o câncer de colo do uterino, o câncer de corpo uterino que é chamado também de câncer de endométrio, câncer de ovário, e menos comumente os cânceres de vulva e vagina. O tipo de câncer ginecológico mais comum nas mulheres é o de colo uterino. Ele perde em incidência apenas para os tumores de pele não melanoma e para os tumores de mama”, detalha. 

A especialista destaca que a agressividade dos tumores vai depender da fase em que a doença é descoberta. Todos os cânceres são graves, mas se diagnosticados precocemente as chances de cura são grandes. “O que a gente quer na oncologia é fazer o diagnóstico precoce dos tumores. Porque é na fase inicial da doença que temos maior potencial de cura. Se a gente achar um câncer de colo uterino, de ovário ou endométrio nos estágios iniciais, nós vamos fazer um tratamento de intensão curativa, operar, ou quimiorradiação. Tratamento com duração menor e limitado e que vai curar a paciente, na maioria das vezes. Se o diagnóstico é tardio, o tratamento é prolongado, muitas vezes paliativo, pra melhorar a qualidade de vida do paciente, aumentar o tempo de vida sem necessariamente curar. Queremos fazer sempre o diagnóstico precoce para curar os pacientes”, declara Graziella.

Segundo a oncologista, é importante reforçar que a doença em suas fases iniciais é silenciosa e os sintomas como sangramento vaginal, corrimento e dor, atrelada ou  não às relações sexuais, podem surgir em fases mais avançadas da doença.

Prevenção

A médica da Oncomed explica que quando se fala em prevenção de tumores ginecológicos, primeira coisa que nos vem à cabeça é a vacinação contra o HPV. A vacina é oferecida para meninos e meninas em idade precoce, normalmente a partir de nove anos de idade. A vacina contempla alguns subtipos do vírus HPV e é uma maneira de prevenção a esses tumores. “Lembrando que a vacinação não exclui a necessidade do acompanhamento ginecológico regular. Ela previne e reduz a incidência de câncer uterino, mas não zera esta chance. O médico ainda é importante para fazer o exame preventivo e acompanhar as pacientes, pra detectar os tumores de forma precoce”, detalha Graziella Piló, oncologista referência da Oncomed em cânceres urológicos e ginecológicos.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Mineração dia a dia. Investir em qualificação e desenvolvimento dos profissionais, independentemente do seu gênero, é uma das ações que vem se tornando realidade em Minas Ger...

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Apenas neste domingo, 8 estabelecimentos de Belo Horizonte foram interditados pela prefeitura. #Itatiaia

    Acessar Link