Notícias

Serviços têm alta mais intensa em março e atingem maior patamar desde 2015

Turismo também registrou crescimento expressivo; alta vem desde o ano passado

Por Redação Itatiaia | 12/05/2022 às 10:58
Rovena Rosa/Agência Brasil
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Turismo está entre as atividades que mais cresceram nos últimos meses

A alta de 1,7% no volume de serviços prestados no País em março frente a fevereiro foi a mais acentuada para este período do ano dentro da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços, iniciada em 2011 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado sucedeu um aumento de 0,4% registrado no mês anterior (a taxa de -0,2% divulgada no mês passado foi revista para um crescimento). Como resultado, o setor eliminou a perda de 1,8% ocorrida em janeiro.

Os serviços chegaram a março operando no maior patamar desde maio de 2015. O setor está 7,2% acima do nível pré-pandemia, de fevereiro de 2020, mas ainda 4,0% abaixo do patamar mais alto, registrado em novembro de 2014.

Segundo o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, os segmentos que mais influenciaram a alta dessa atividade estão os transportes rodoviário de cargas e aéreo de passageiros.

“Dentre os setores que mais influenciaram a alta dessa atividade está o rodoviário de cargas, especialmente o vinculado ao comércio eletrônico e ao agronegócio. É a principal modalidade de transporte de carga pelas cidades brasileiras e seu uso ficou ainda mais acentuado após os meses mais cruciais da pandemia. Outra influência foi o transporte aéreo de passageiro, não só por conta do aumento do fluxo de passageiros, o que gerou maiores receitas das companhias aéreas, mas também porque foi ajudado pela queda do preço das passagens aéreas observadas no mês de março”, explicou.

As demais atividades apresentaram as seguintes taxas de crescimento: informação e comunicação (1,7%), profissionais, administrativos e complementares (1,5%), prestados às famílias (2,4%) e outros serviços (1,6%).

Turismo

As atividades turísticas também cresceram em todas as bases de comparação: 4,5%, em relação a fevereiro; 75,6%, em relação a março do ano passado; e 42,2%, no acumulado do ano.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou