Notícias

'Eles não acharam o processo. O processo que deveria ter saído de Belo Horizonte e ter chegado em Brasília, não chegou em Brasília', conta espantado o ex-delegado.

Antério Mânica

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Por Editoria de web | 23/11/2016 às 17:01
Processo não teria chegado em Brasília (EBC)
Foto: Processo não teria chegado em Brasília (EBC)


O processo com mais de sete mil páginas que resultou na condenação do fazendeiro Antério Mânica, em outubro do ano passado, despareceu da Justiça Federal. O novo capítulo no episódio que ficou conhecido como chacina de Unaí foi revelado com exclusividade à Itatiaia pelo ex-delegado federal do trabalho, Carlos Calazans, em entrevista ao jornalista Eduardo Costa, veiculada no Jornal da Itatiaia desta quarta-feira.

“Estive agora, na última quinta-feira, conversando com os dois juízes federais que comandaram o julgamento, a doutora Raquel e o doutor Murilo. Fui lá para saber (do andamento) e eles me mostraram”, disse o Calazans.

“Doutora, então o processo está em Brasília? Ela abriu o computador, acessou o Tribunal Federal em Brasília, e o processo (não) tinha chegado lá. 'Uai Calazans, o processo não está em Brasília, onde será que está?' Falei..doutora Raquel a senhora que é juíza federal. Onde está o processo? Eles não acharam o processo. O processo que deveria ter saído de Belo Horizonte e ter chegado em Brasília, não chegou em Brasília”, conta espantado o ex-delegado.

Em 28 de janeiro de 2004, os auditores fiscais do Trabalho Eratóstenes de Almeida Gonsalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva, além do motorista Ailton Pereira de Oliveira, foram executados quando se preparavam para fiscalizar fazendas de feijão da zona rural da cidade. Havia a suspeita de que os trabalhadores foram contratados irregularmente. O caso ficou conhecido como Chacina de Unaí.

Mandantes da chacina, os irmãos Norberto e Antério Mâncica foram condenados pela justiça, mas recorreram e estão soltos, levando uma vida normal. Antério pegou mais de 100 anos de prisão.

Justiça Federal

Após insistência da produção da Itatiaia, a Justiça Federal enviou um e-mail à redação na noite dessa terça-feira garantindo ter achado os três processos do caso.

Segundo a nota, os réus Norberto e Antério Mânica, Hugo Alves Pimenta e José Alberto de Castro ganharam o direito de recorrer em liberdade, de modo que aguardam soltos o julgamento da apelação. 

Ouça a matéria completa com Eduardo Costa 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou