Ouça a rádio

Compartilhe

Pedrinho é homenageado com Raposão de Ouro e diz: ‘Tem muito cruzeirense que pode ajudar o clube’

Empresário chegou a criticar o fato de o clube ter perdido seis pontos pelo não pagamento de dívidas

Reprodução/Youtube Cruzeiro
Foto: Reprodução/Youtube Cruzeiro

Conselheiro nato do Cruzeiro, o empresário Pedro Lourenço foi homenageado nesta terça-feira, no salão nobre do Parque Esportivo do Barro Preto, e recebeu o ‘Raposão de Ouro’, maior honraria do clube. A entrega foi feita pelo presidente do Conselho Deliberativo, Paulo César Pedrosa, e pelo presidente Sérgio Santos Rodrigues antes da reunião extraordinária do Conselho Deliberativo que aprovou, com ressalvas, o balanço financeiro de 2019.

O empresário foi a sexta pessoa a receber a estatueta. “Gostaria de agradecer a todos os conselheiros que votaram a favor para eu receber esse prêmio hoje. É muito orgulho pra mim. Eu não imaginava receber o Raposão de Ouro, tão de repente. Com muita alegria eu recebi isso. Com muita honradez. Não vou me esquecer desta data nunca”, disse.

Pedrinho BH, como é mais conhecido por ser dono da rede Supermercados BH, já ajudou e ainda auxilia o Cruzeiro diversas vezes, tanto em contratações de jogadores, quanto no pagamento de dívidas. O empresário disse que outros cruzeirenses têm condições financeiras de emprestar dinheiro para o clube.

“A gente tem que se unir e trazer o Cruzeiro para o lugar que ele nunca deveria ter saído. (...) Ver a torcida do Cruzeiro chorando, sendo que muitos cruzeirenses que nós temos poderiam ter ajudado o Cruzeiro mais. Deveriam emprestar dinheiro para o Cruzeiro, se vai receber ou não é outra coisa, mas acho que tem muito cruzeirense que pode ajudar o Cruzeiro financeiramente também. A gente não pode passar por uma humilhação dessa que passamos. Espero, enquanto estiver vivo, não passar mais por isso”, declarou.

“O que eu faço pelo Cruzeiro, eu faço por amor. O Dr. Gilvan (de Pinho Tavares, ex-presidente do Cruzeiro) está ali pode falar, o Alvimar (Perrella, ex-presidente do clube). Toda a vida em que eu ajudei o Cruzeiro, nunca pedi nada em troca. Se for fazer algo com o Cruzeiro para levar algo em troca eu não faço”, acrescentou.

O empresário ajudou o Cruzeiro a pagar a primeira parte da dívida com o Zorya, da Ucrânia, pela contratação do atacante Willian Bigode, em 2014. Caso os 602 mil euros (R$ 3,8 milhões aproximadamente) não fossem pagos até o dia 28 de maio, o clube perderia mais seis pontos na Série B do Brasileirão – a Raposa já havia sido punida, dez dias antes, com a perda de seis pontos por não ter quitado 850 mil euros (cerca de R$ 5 milhões na época) junto ao Al Wahda-EAU pelo empréstimo do volante Denilson, em junho de 2016.

Em tom crítico sobre a perda de seis pontos no dia 18 de maio – a dívida deve ser paga nos próximos meses sob o risco de rebaixamento para a Série C –, Pedrinho ressaltou que os conselheiros devem se unir para ajudar e chegou a citar uma ‘vaquinha’.

“A gente perder seis pontos por causa de R$ 3 milhões, R$ 4 milhões... eu acho que se nós fizéssemos uma vaquinha aqui pagaria, não é? Isso não pode acontecer. A gente tem que se unir com o Serginho (Rodrigues, presidente), uma coisa transparente, e a gente não pode deixar o clube perder pontos por causa de R$ 4 milhões. A torcida que a gente tem, os conselheiros que temos, todos têm condição... se fizermos um rateio. Isso é uma coisa que a gente tem que repensar, não podemos deixar o Cruzeiro nesta situação, temos a obrigação de ajudar”, finalizou.

Confira as principais notícias do Cruzeiro no canal da Itatiaia no Youtube