Notícias

MPMG denuncia 22 pessoas por envolvimento com o PCC em Itajubá, no Sul de Minas

Denunciados são suspeitos de participação ativa nos crimes cometidos pela organização criminosa

Por Da Redação , 17/10/2020 às 17:11
atualizado em: 17/10/2020 às 18:26

Texto:

Foto: Reprodução / Google Street View
Reprodução / Google Street View

RESUMO

  • MPMG denuncia 22 pessoas por envolvimento com PCC em Itajubá, no Sul de Minas 
  • Denunciados são suspeitos de participação ativa nos crimes cometidos pela organização criminosa 


O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciou à Justiça em Itajubá, no Sul de Minas, 22 pessoas envolvidas com a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). A denúncia é fruto de um inquérito da Polícia Civil de Minas Gerais, que apurou a atuação do grupo na cidade mineira. 

As informações divulgadas pelo MPMG mostram que a denúncia diz que os investigados participavam efetivamente do PCC. 

Eles desempenhavam funções específicas como tráfico de drogas, comércio e porte ilegal de armas de fogo, atentados contra a vida de inimigos de outras organizações criminosas ou contra agentes de segurança pública.

 A denúncia ainda diz que o grupo praticava sequestro e tortura de membros de gangues rivais e de integrantes do próprio grupo para obter informações.

A ação penal proposta pelo promotor de Justiça Otávio de Almeida Cabral, da 4ª Promotoria de Justiça da comarca de Itajubá, solicita a expedição de mandados de busca e apreensão e prisões. 

Além disso, a ação pede a prisão preventiva dos integrantes do PCC que já estão presos temporariamente. O promotor embasa seu pedido explicando a gravidade dos crimes cometidos pelo grupo. 

Por fim, o promotor orientou que, além da prisão, seja aplicado um regime disciplinar diferenciado para inibir a prática de crimes de dentro para fora das cadeias. 
 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'O projeto introduz dispositivos claros e objetivos, com penalidade para aqueles que prestarem informações falsas ou deixarem de executar as medidas compensatórias', defend...

    Acessar Link