Notícias

Luísa Barreto diz que é possível reduzir tarifa do transporte coletivo de Belo Horizonte

Para pré-candidata à Prefeitura de Belo Horizonte pelo PSDB, educação e saúde da capital precisam ser modernizadas

Por Da Redação , 16/09/2020 às 21:55
atualizado em: 23/09/2020 às 10:31

Texto:

Foto: Pedro Gravata/Divulgação
Pedro Gravata/Divulgação

RESUMO

  • Luísa Barreto diz que é possível reduzir tarifa do transporte coletivo de Belo Horizonte  
  • Para pré-candidata à Prefeitura de Belo Horizonte pelo PSDB, educação e saúde da capital precisam ser modernizadas 


A pré-candidata à Prefeitura de Belo Horizonte Luísa Barreto (PSDB) acredita que é possível melhorar a qualidade e reduzir a tarifa do transporte coletivo da capital mineira. A declaração foi dada durante entrevista concedida à repórter Edilene Lopes, na live realizada no canal da Itatiaia no YouTube, na noite dessa quarta-feira (16). 

“A concessão do transporte de Belo Horizonte é de 2008 e termina em 2028. Quem assumir a prefeitura agora não consegue fazer uma revolução completa do sistema. Mas é possível sim melhorar a qualidade e é possível reduzir a tarifa de ônibus em alguns aspectos. Eu já tenho um estudo sobre isso e que vai ser apresentado no meu plano de governo de como é possível fazer isso”, prometeu. 

Sobre a retomada da economia, a pré-candidata à Prefeitura de Belo Horizonte do PSDB acredita que é importante fortalecer uma parceria entre a PBH e cidades da região metropolitana para a geração de emprego e renda. 

“A prefeitura precisa ter uma melhor integração com a Região Metropolitana. Belo Horizonte hoje não consegue atrair uma indústria, mas as outras cidades da Grande BH conseguem. Em um trabalho conjunto com a capital mineira e os outros municípios do entorno, podemos atrair essas indústrias para a Região Metropolitana e gerar emprego para o belo-horizontinos, que vai poder trabalhar lá”, acredita. 

Questionada se pretende realizar obras durante uma possível gestão, a pré-candidata do PSDB declarou que pretende executar obras para sanar os problemas da chuva na cidade.

“As obras para contenção das chuvas para acabar com as enchentes são prioridade. A gente sabe que o problema das enchentes não acaba apenas com obras, mas algumas são fundamentais. Tem muitas obras planejadas que não saíram do papel. Já vimos, por exemplo, em Venda Nova, algumas obras que foram anunciadas por três vezes e não saíram do papel. Então, pretendo realizar obras que vão sanar os problemas”, afirmou. 

Em relação a educação pública, Luísa Barreto, que é ex-secretária adjunta de Planejamento e Gestão do governo de Romeu Zema (Novo), diz acreditar que é preciso manter o que deu certo na atual gestão. 

“O que deve ser mantido é o que tem qualidade. Hoje em Belo Horizonte a gente percebe uma qualidade no ensino infantil, embora ele precise ter uma ampliação de acesso. Agora, o que a gente vê no ensino fundamental em Belo Horizonte é um tremendo descaso. Os resultados que foram divulgados nessa terça do Ideb mostra BH como a pior capital nesse índice no sentido de desenvolvimento. BH precisa modernizar o ensino. A gente vive no mundo cada vez mais tecnológico e tem uma demanda de novas formas de ensino”, garante.  

A pré-candidata à Prefeitura de Belo Horizonte acredita que há necessidade de modernização na saúde pública também.
 
“A gente vai ter sim impactos da pandemia no próximo ano, mas me preocupa a situação como um todo. A minha principal proposta é da gente trazer mais modernização. Precisamos de trazer a tecnologia para ser um aliado no combate às doenças e  na prevenção. Podemos fazer isso com o prontuário eletrônico, que é um sistema que permite acompanhar a situação de cada indivíduo, além da contração de serviços privados para pacientes da rede pública”, promete. 

Questionada sobre qual ponto da administração precisa ser olhada com mais atenção, Luísa Barreto diz que a situação dos moradores de rua é algo que precisa ser repensado. 

“A questão dos moradores de rua precisa ser olhada com um olhar muito cuidadoso. Belo Horizonte tem hoje 9 mil pessoas em situação de rua. Com a pandemia, esse número aumentou. BH sempre tratou a questão como um problema de massa, como se todos os moradores de rua tivessem o mesmo problema. Mas são 9 mil histórias. São 9 mil pessoas que estão nas ruas por problemas diferentes. As vezes é por um problema familiar, às vezes um problema de abuso de álcool ou outras drogas. Precisamos tratar essas pessoas como indivíduos, entender o problema e ajudá-las a encontrar o seu lar ou encontrar uma solução melhor por meio de um trabalho”, afirma. 

Lives 

As lives foram agendadas por ordem alfabética e de acordo com a disponibilidade de cada pré-candidato à Prefeitura de Belo Horizonte. O canal da Itatiaia no YouTube vai levar para você duas entrevistas por dia de pré-candidatos. As lives tem início às 21h e vão até as 22h. Cada entrevistado tem 25 minutos para se pronunciar.  

Já foram ouvidos pela Itatiaia, os pré candidatos a deputada Áurea Carolina (PSOL), Lafayette Andrada (Republicanos), Bruno Engler (PRTB), João Vítor Xavier (Cidadania) e Luísa Barreto (PSDB).

Veja a entrevista completa: 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'O projeto introduz dispositivos claros e objetivos, com penalidade para aqueles que prestarem informações falsas ou deixarem de executar as medidas compensatórias', defend...

    Acessar Link