Ouça a rádio

Compartilhe

Informalidade vira solução para milhões de brasileiros que desistiram de procurar emprego

Marcos Santos / USP Imagens
Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Em tempos de crise, conseguir um trabalho pode ser um desafio exaustivo. Dados divulgados em agosto pela pesquisa Pnad Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontaram que 4,8 milhões de brasileiros desistiram de procurar emprego. O perfil deste contingente vai da falta de experiência e qualificação, até aqueles com idades em extremos, sejam muito jovens ou muito velhos. 

Muitos conseguem encontrar na informalidade a solução para a falta de emprego com carteira assinada. O consultor financeiro e professor de economia da Ibmec Felipe Leroy ressalta que a falta de esperança em conseguir trabalho está expulsando as pessoas para novas modalidades de conseguir renda. 

Ele alerta que o cenário pessimista provoca um “efeito manada” e faz com que cada vez mais pessoas desistam. Inclusive das áreas que costumavam trabalhar. 

“Uma pessoa passa para outra, essa notícia vai se espalhando, e aí as pessoas simplesmente desistem de procurar emprego. Vão trabalhar na informalidade. Já não acreditam mais na profissão. Isso é um problema, elas desistem inclusive da profissão”, ressalta. 

O professor destaca que a falta de emprego tem um impacto significativo na economia do país e que ela é responsável por alavancar os índices de crescimento. Ele ainda alerta que, além da crise econômica, a diminuição do número de empregos também está relacionada ao advento de novas tecnologias.

“Tudo tem mudado radicalmente. Então, tem uma crise junto com uma revolução tecnológica. Você tem alguns setores que estão simplesmente sumindo do mercado de trabalho”, alerta.