Ouça a rádio

Compartilhe

Golpes com Pix crescem mais de 200% no Brasil

Meio de pagamento continua a fazer sucesso e já é usado em quase 10% das compras online

Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Queixas de transações não autorizadas subiram de 387 para 1.271 em um ano

A consolidação e o crescimento do Pix têm feito as ocorrências criminosas que envolvem a plataforma aumentarem. Dados da lei de acesso à informação apontam que, só nos primeiros três meses de 2022, houve 1.271 queixas de transações não autorizadas na plataforma. No mesmo período de 2021, foram 387 reclamações, um aumento de 228,4%.   

As transações não autorizadas vão de pequenos golpes até participação em fraudes sofisticadas. Uma delas era praticada por uma quadrilha que prometia dobrar os saldos em conta a partir de uma falha no sistema da fintech Superdigital, do banco Santander. 

A ação durou dois dias, em janeiro de 2021, e movimentou cerca de R$ 13 milhões em transações Pix. A falha permitia que os ladrões fizessem um Pix, cancelassem a operação e recebessem o estorno em dobro. O Superdigital afirma ter corrigido a falha, mas não divulgou detalhes sobre como ela funcionava.

O roubo de celulares também aumentou desde o lançamento do Pix. Em janeiro e fevereiro de 2022, o crescimento das ocorrências em São Paulo foi de 6% e atingiu 60,8 mil registros. Os criminosos costumam usar os aparelhos para fazer as transações diretamente no aplicativo de banco da vítima.

Pix já é usado em 10% das compras online

Mesmo assim, o Pix continua a ganhar espaço. Uma pesquisa da Neotrust indica que, no primeiro trimestre de 2022, o meio de pagamento representou 9,7% da preferência em compras online. Isso é mais que o dobro do mesmo período de 2021, quando somava 4% das transações. 

O cartão de crédito continua em primeiro lugar entre os métodos de pagamento no e-commerce, com preferência de 82,6%. Já o boleto bancário caiu 6,5%. Paulina Dias, head de inteligência da Neotrust, destaca que o consumidor tem preferido utilizar o Pix em vez do boleto bancário nas compras online. “Um dos fatores é a praticidade nas transações, que podem ser feitas em qualquer dia e horário pelo celular pessoal do comprador”, diz.

Confira as principais notícias de Tecnologia no canal da Itatiaia no Youtube