Notícias

Enfermeira pede ajuda para criança de 3 anos que corre o risco de perder os rins

Criança vivia com a mãe em situação insalubre até receber ajuda da profissional da saúde

Por Camila Campos , 13/07/2020 às 16:48
atualizado em: 13/07/2020 às 18:58

Texto:

Foto: Reprodução/ Redes Sociais
Reprodução/ Redes Sociais

RESUMO

  • Enfermeira pede ajuda para criança de 3 anos que corre o risco de perder os rins
  • Criança vivia com a mãe em situação insalubre até receber ajuda da profissional da saúde 
  • Enfermeira alugou casa e comprou móveis para que criança e mãe consigam morar com dignidade 


Pense em uma menina que tem uma doença grave, correndo o risco de perder os rins a qualquer momento e mora em condições insalubres. Esse é o caso da pequena Clarice, de apenas 3 anos, e que comoveu uma enfermeira da capital. 

A pequena Clarice toma 16 remédios por dia e mora de aluguel, que é bancado pela enfermeira, que está movendo o mundo para fazer a diferença na vida dessa garotinha. 

A enfermeira Alcione da Mata, de 41 anos, que tem mais de dez anos de carreira pela Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, faz campanha pelas redes sociais por ajuda para a criança.

“A Clarisse sofre de uma doença renal grave, que acomete os dois rins. Ela sofre várias internações devido a gravidade da lesão. Ela ainda não precisa do transplante renal porque ainda tem função renal. Mesmo com toda dificuldade, a Clarisse é uma criança que fala e que brinca. As limitações que ela tem é na alimentação. Devido a doença, ela tem hipertensão. Então, ela não pode ingerir muito sódio. Não pode ingerir líquido.  A alimentação deve ser totalmente regulada. Não pode comer gordura. Não pode ingerir açúcar”, explica a enfermeira. 

Além desses obstáculos, a pequena ainda sofre com outras situações. “Por ela ser uma criança imunodeprimida, se ficar gripada, ela fica muito inchada. Se tiver pressão alta, ela fica muito inchada”, detalha.

A enfermeira é a pessoa responsável por levar a criança ao médico, mas, nos dias de hoje, em plena pandemia, a situação tem piorado bastante. 

“Eu sempre levo a Clarice ao médico e é uma dificuldade grande. No dia de fazer exame, eu saio da minha casa às 4h da manhã, vou buscar a Clarice em Ibirité, volto com ela pra casa e depois pego plantão. Então, nessa época de pandemia, eu não quis deixar a ela correr o risco de enfrentar o transporte público”, relata. 

A pequena Clarice, de 3 anos, vem de uma família muito humilde. “Eu encontrei ela morando com a mãe em uma casa totalmente insalubre para a saúde. Mediante a situação, eu fiquei comovida. Tirei ela e a mãe dela de lá. Aluguei uma casa e já comprei alguns móveis para elas”, lembra a profissional da saúde. 

A enfermeira pede ajuda para construir um lar para a criança e a mãe.  “Através de material de construção. Através de alimentos. Através de fraldas. Também precisamos de recursos financeiros para que eu possa construir a casa para a Clarisse. Também peço ajuda para conseguir um computador e uma impressora para que a mãe dela possa trabalhar em casa e contribuir para o tratamento da filha”, detalha a enfermeira.

A ajuda para a pequena Clarice pode ser feita por meio de uma Vaquinha virtual. Para ajudar, basta clicar aqui
 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    As informações sobre a semana e os eventos serão transmitidos nas redes sociais do ministério e da Secretaria Nacional da Juventude.#Itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽️Técnico do América não poupou críticas à atuação do juiz Felipe Fernandes de Lima no clássico contra o Atlético. #itatiaia

    Acessar Link